Nesta segunda-feira (13), dia da Abolição da Escravatura, será lançado no Centro Cívico Cruz e Souza, no Centro de Lages, o livro “Sebastião Ataide: presença, trajetória e protagonismo”. De autoria da professora Renilda Vicenzi, doutora em História, a obra destaca a trajetória do professor, sociólogo, escritor e pesquisador do homem negro dos campos do município da Serra catarinense.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

Segundo a professora, Sebastião Ataide foi o primeiro homem negro a obter o diploma de Ensino Médio como Normalista, tornando-se professor. Graduou-se em Serviço Social, sendo o pioneiro nos estudos sobre a negritude nos campos de Lages. Atuante na comunidade, ele era membro e liderança do Clube Cívico Cruz e Souza.

Oito em cada 10 cidades de SC não têm política de igualdade racial

Filho de Maria dos Prazeres Moreira, Sebastião nasceu em 29 de julho de 1923, às margens do rio Pelotas, na fazenda Santa Cecília, em Lages. Em seus escritos ele relata que foi “criado” pelos proprietários da fazenda, o senhor Francisco Vicente de Athayde Júnior e senhora Cecilia Furtado de Athayde, afirmando que aos cinco anos de idade já estava na lida do campo.

Continua depois da publicidade

E é justamente sobre a sua trajetória que no ano de 1988, centenário da Abolição da Escravatura, Sebastião publicou o livro “O Negro no Planalto Lageano”.

— No seu livro ele traz memórias, trajetórias familiares, relatos e experiências de pessoas que vivenciaram, assim como ele, intensa jornada de racismo ao longo da sua vida. E neste ensaio biográfico, apresento toda essa trajetória, dando a ele e a sua obra, o devido reconhecimento pela sua importância no campo das Ciências Humanas — ressalta Renilda.

Conheça a história da indumentária que embala a Festa do Pinhão em SC

A escritora ainda afirma que a obra de Sebastião é um registro sociológico fundamental para a história do Sul do Brasil.

— Ele é cirúrgico ao afirmar que o negro escravo ajudou a construir Lages e suas fazendas, contribuindo para o desenvolvimento da região. Por isso é importante que possamos olhar para estas pessoas, conhecer suas trajetórias e reconhecermos seus protagonismos, entendendo a história da Serra catarinense a partir da perspectiva do homem negro. Há 136 anos a Lei Áurea determinou a abolição da escravatura no Brasil e lançar esse livro nesta data, em Lages, é de uma grande importância histórica e social — conclui.

Continua depois da publicidade

O livro “Sebastião Ataide: presença, trajetória e protagonismo” será comercializado no local do evento, que inicia às 19h, no valor de R$ 35,00. Ele também está disponível para venda pela internet.

Veja registros do livro

Leia mais

FOTOS: Conheça a nova rainha e as princesas da Festa do Pinhão 2024

Festa do Pinhão: saiba tudo sobre uma das maiores festas gastronômicas do Brasil

Destaques do NSC Total