nsc
    dc

    De volta para casa

    Homem desaparecido há 20 anos em São José é encontrado no Mato Grosso do Sul

    Família acreditava que César Borba, 63 anos, estivesse morto; mas ele foi localizado como morador de rua na cidade de Bonito

    23/07/2020 - 15h56 - Atualizada em: 23/07/2020 - 18h11

    Compartilhe

    Por Ângela Bastos
    César, que estava desaparecido
    César reencontra família, de maneira virtual, após 20 anos.
    (Foto: )

    A família Borba, moradora em São José, na Grande Florianópolis, não tem dúvidas que a esperança é a última que morre. Depois de 20 anos, os Borba se reencontraram com César, 63 anos, desaparecido 20 anos atrás. Até esta quinta-feira (23) o contato entre eles foi virtual, mas a família já está com as malas no carro para viajar até a cidade de Bonito, a 247 quilômetros de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, para trazê-lo de volta.

    — A gente quase não acreditou quando o pessoal de lá, os policias, fizeram a vídeo chamada com a gente — conta Adriana, casada com um sobrinho que irá buscar César.

    O idoso encontrava-se na cidade desde maio, como morador de rua, e foi acolhido pela Centro de Referência em Assistência Social. César tem atraso cognitivo, mas foi ele quem ajudou a localizar a família em Santa Catarina. Ele disse o nome de três irmãos — dois já falecidos —, a data do seu nascimento e o nome da mãe, Leontina, 89 anos.

    — Apesar de a mãe dele estar acamada e com problemas de saúde, foi muito bonito vê-los. O César chorou de emoção — conta Adriana.

    Hábito de seguir caminhando

    Esta não foi a primeira vez que César desapareceu. Porém não tão longe e por tanto tempo. Quando mais jovem, ele chegou a ficar dois anos e meio numa cidade próxima de Foz do Iguaçu, no Paraná. Como não carregava dinheiro no bolso, é possível que tenha ido até Bonito da mesma forma que antes: caminhando.

    Foi a Assistência Social da prefeitura de Bonito que pediu ajuda para a Polícia Civil do Mato Grosso do Sul. Os policiais chegaram aos familiares catarinenses pelo sobrenome, e fizeram contato com uma sobrinha. A moça relatou que, em razão de sua saúde, o tio tinha o hábito de fugir de casa, mas nunca para muito longe. 

    Também explicou que, após o desaparecimento, a família registrou diversas ocorrências na Polícia Civil de Santa Catarina. Apesar das buscas, nada do tio havia sido encontrado e por isso acreditaram que ele tivesse morrido. César Borba continua sendo assistido pela prefeitura de Bonito, e nestes dias passou por exames médicos. Assim que retornar para casa ficará morando com a mãe e uma irmã.

    Acesse também:

    Menina com suspeita de coronavírus põe recado em saco de lixo para alertar garis

    Para evitar coronavírus, servidores levam crianças de abrigo para casa em Florianópolis

    Colunistas