nsc
dc

Passo a passo

Imposto de Renda 2021: saiba como declarar

Declaração pode ser preenchida manualmente ou utilizando a funcionalidade de pré-preenchimento

02/03/2021 - 14h01 - Atualizada em: 24/05/2021 - 12h45

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Página inical da Declaração no navegador do computador
Página inicial da Declaração no navegador do computador
(Foto: )

Os contribuintes que precisam declarar o Imposto de Renda em 2021 têm até o dia 30 de abril para entregar o documento no sistema da Receita Federal. O programa é autoexplicativo e de fácil manejo, mas é preciso prestar atenção no preenchimento para que todas as informações estejam corretas e o contribuinte não caia em malha fina. Saiba como declarar o IR 2021 e entenda qual o passo a passo da declaração.

> Imposto de Renda 2021: veja as novas regras da declaração

> Auxílio Emergencial 2021: benefício volta em março com parcelas de R$ 250, diz Bolsonaro

Para fazer a declaração, primeiramente, junte a documentação necessária, como CPF, título de eleitor, comprovante de residência e os comprovantes de rendimentos e despesas. Feito isso, você precisa escolher por onde faxer a sua declaração: diretamente no e-CAC; pelo aplicativo para celular ou tablet; ou baixando o programa no seu computador (veja como baixar os programas).

➜ Como fazer para entrar:

Após fazer a sua escolha e baixar o aplicativo de sua preferência, você pode entrar com CPF e data de nascimento pelo celular e certificado digital ou login do gov.br pelo computador.

➜ Você pode iniciar a declaração de três modos:

Preencher manualmente uma declaração em branco, do zero; • Fazer a declaração a partir da declaração do ano anterior (você precisa ter o documento do ano anterior); • Fazer a declaração pré-preenchida com dados atuais de outras declarações recebidas pela Receita Federal.

➜ Se você optar pela declaração pré-preenchida:

Você inicia sua declaração com diversos campos já preenchidos com base nas informações de rendimentos, deduções, bens, direitos, dívidas e ônus reais já recebidas pela Receita Federal, por meio de outras declarações (recebidas de empresas, médicos, imobiliárias, entre outras).

Pelo programa do Imposto de Renda, na aba "Nova", basta clicar o botão "Iniciar Declaração a partir da Pré-Preenchida", mas é necessário usar certificado digital para baixar os dados. O serviço também é disponibilizado no e-CAC para o preenchimento da declaração de forma on-line.

É importante perceber que os campos só serão preenchidos se as outras fontes (empresas, médicos...) enviarem à Receita Federal as informações necessárias. Durante o preenchimento você deve verificar os dados importados, fazendo correções, exclusões e inclusões, se for o caso.

➜ Se você optar pela declaração a partir do documento do ano anterior:

Se você entregou a Declaração de Imposto de Renda no ano anterior e tem o arquivo, você pode importar as informações para a declaração atual, economizando tempo de preenchimento. A importação substitui os dados já digitados, por isso, recomenda-se fazer a importação antes de começar o preenchimento. Confira se os dados estão corretos e atualize as informações, finalizando o preenchimento da declaração.

➜ Se você optar pela declaração preenchida manualmente:

Você terá que preencher de forma manual todos os dados solicitados pelo sistema. Porém, você pode facilitar o seu trabalho. Se você recebeu Comprovantes de Rendimentos no formato eletrônico de sua fonte pagadora e Comprovante Eletrônico de Pagamento de Serviços Médicos e de Saúde, você pode importar as informações para a sua Declaração de Imposto de Renda. 

> Covid-19: acompanhe o avanço da vacinação em Santa Catarina

Com a nova declaração aberta (em preenchimento), clique no menu Importações e selecione "Informe de Rendimentos" ou "Informe de Plano de Saúde". Verifique se os dados importados estão corretos e faça alterações, inclusões e exclusões, se for necessário.

➜ Preenchimento:

Você deve preencher cada aba do programa, como identificação do contribuinte, dependentes, Rendimentos Tributáveis Recebidos de PJ, Pagamentos Efetuados ou Doações efetuadas, por exemplo.

Lembrando que há uma novidade neste ano. Se você ou algum dependente recebeu o Auxílio Emergencial e ainda recebeu outros rendimentos tributáveis em valor anual superior a R$ 22.847,76, você deve declarar o benefício na ficha de "Rendimentos recebidos de pessoa jurídica".

➜ Pendências:

A declaração só deve ser enviada após você preencher todos os campos e não ter nenhuma pendência. Na aba "Pendências" são mostrados os erros de preenchimentos, provocados pela falta ou digitação incorreta de informações obrigatórias. Nestes casos, você precisa corrigir a informação para poder enviar a declaração.

> Declaração do IR 2021 começa nesta segunda; veja regras e calendário de restituição

Há também um aviso indicando que informações não obrigatórias foram deixadas em branco. Os avisos são apenas alertas e não impedem o envio da declaração. Mas, se achar necessário, complemente as informações.

➜ Dedução ou desconto:

Após preencher a declaração e verificar as pendências, você pode optar por duas formas de descontos: as deduções legais ou o desconto simplificado.

• Deduções legais • Desconto simplificado

O sistema lhe mostrará qual é o mais vantajoso em seu caso, considerando o valor do imposto a pagar ou a receber, e você deve fazer a escolha.

➜ Pagar ou receber:

Ao final é possível ter acesso ao valor do imposto que você deve pagar ou ser restituído.

• Você será restituído quando o valor calculado de imposto a pagar é menor do que o imposto que já foi pago por você ao longo do ano. Neste caso, você deve indicar na sua declaração o banco, agência e conta em que deseja receber a sua restituição. Você pode receber por conta corrente, poupança ou pagamento. É preciso ter conta bancária para receber a restituição, ela não é paga em dinheiro e não pode ser feita na conta de outras pessoas.

• Quando o valor calculado de imposto é maior do que o valor que foi pago ao longo do ano, você deverá fazer o pagamento da quantia por meio de DARF. O valor calculado pode ser dividido em até 8 parcelas mensais (quotas), desde que o valor da parcela não seja menor do que R$ 50,00.

• Uma terceira opção ocorre quando o valor pago de imposto é igual ao que foi recolhido ao longo do ano. Dessa forma, você não precisará pagar ou receber nenhuma quantia.

• Neste ano há ainda uma novidade. O contribuinte que tenha recebido rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 22.847,76 no ano-calendário 2020 e também recebeu o Auxílio Emergencial, deve devolver ao governo os valores recebidos do Auxílio, por ele e seus dependentes por meio de DARF.

*Com supervisão de Carolina Marasco

Leia também

MEI precisa declarar Imposto de Renda em 2021? Entenda

Imposto de Renda 2021: a idade limite para incluir os filhos na declaração

Restituição de Imposto de Renda 2021: consulta mostra quem recebe no primeiro lote

Colunistas