nsc
hora_de_sc

Custo de vida

Inflação de Florianópolis em 2021 dobra em relação a 2020; veja o que causou a alta

Com forte aumento dos combustíveis, preços que mais subiram foram os ligados aos transportes

04/01/2022 - 14h37

Compartilhe

Fernanda
Por Fernanda Mueller
Inflação de Florianópolis chegou a 10,54% em 2021
Inflação de Florianópolis chegou a 10,54% em 2021
(Foto: )

A inflação de Florianópolis chegou a 10,54% em 2021, mais do que o dobro do índice registrado no ano anterior (5,02%). É isso que aponta o Índice de Custo de Vida (ICV) da Udesc/Esag. Com forte aumento dos combustíveis, os preços que mais subiram foram os ligados aos transportes (23,5%). (veja ranking abaixo)

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Os dados sobre o custo de vida dos consumidores de Florianópolis refletem a variação de preços de 297 itens, divididos em nove categorias. O grande aumento dos preços ligados aos transportes foi por conta das altas históricas dos combustíveis para automóveis. 

Os que mais subiram em 2021 foram o etanol (55,7%), seguido pelo óleo diesel (49,9%) e pela gasolina (46,3%). 

Itens relacionados à habitação (12,5%) também tiveram forte aumento neste ano, com destaque o gás de botijão (30,65%) e da energia elétrica (29,8%), com aumentos constantes de bandeira tarifária por conta da crise hídrica. 

Entre os nove grupos analisados, os únicos que tiveram variação negativa em 2021, foram Vestuário (-6,37%) e Comunicação (-1,46), que inclui telefone residencial, internet e TV por assinatura. 

Veja inflação por categoria

> Conheça o responsável por calcular a inflação de Florianópolis há 50 anos

Inflação em dezembro 

Em dezembro de 2021 a inflação de Florianópolis foi de 0,67%, e desacelerou em relação aos meses anteriores. Durante o último mês do ano, dos 297 itens pesquisados, 129 tiveram aumento, 118 permaneceram estáveis e 50 tiveram queda de preço. 

Apesar da desaceleração, alguns itens puxaram o índice geral para cima. Os consumidores de Florianópolis sentiram um aumento nas despesas pessoais em dezembro, que responderam por mais de 27% do indicador. Os alimentos tiveram o segundo maior impacto na inflação de dezembro — quase 25% do índice. 

Conforme a Udesc, a metodologia utilizada para calcular o Custo de Vida de Florianópolis é a mesma usada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referência oficial para a meta de inflação nacional.

Leia também

Alta no preço dos alimentos em SC expõe lado desumano da inflação

SC pode ter 2022 com mais empregos e queda de preços, dizem especialistas

SC tem quatro cidades entre as mais ricas do país; saiba quais

Colunistas