nsc
nsc

Saúde

Influenza x Covid-19: entenda as diferenças e saiba os cuidados necessários

Saiba como prevenir, identificar cada uma das doenças e o tratamento adequado em ambos os casos

13/01/2022 - 07h28 - Atualizada em: 19/01/2022 - 12h47

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Diagnóstico é fundamental para o tratamento e controle das doenças.
Diagnóstico é fundamental para o tratamento e controle das doenças.
(Foto: )

O mundo não é mais o mesmo. Em dezembro de 2019, na China, surgiu a epidemia que pouco tempo depois se espalharia pelo resto do globo — a Covid-19, causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2. Ao final de fevereiro de 2020, o primeiro caso foi registrado no Brasil e no início de março a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou estado de pandemia. Desde então, já foram registrados mais de 22 milhões de casos no país. Agora, quase dois anos depois, enfrentamos não apenas o coronavírus e suas variantes, como a mais recente Ômicron, mas também um novo tipo de Influenza, nomeada como H3N2. Com a facilidade de contágio de ambas as doenças, ficar atento aos sintomas é primordial para monitorar o estado de saúde e evitar o contágio de outras pessoas.

Diferenças entre Covid-19 e Influenza H3N2

Com dois vírus circulando, pode ser mais complicado distinguir as doenças. A doutora Fernanda Arns de Castro (CRM 25548), médica infectologista, explica:

— Ambos são vírus e causam infecção de vias aéreas, o que faz com que os sintomas sejam muito parecidos e na prática difícil de diferenciar quem pode ser o causador. Os sintomas costumam ser: coriza, congestão nasal, dor no corpo, dor de cabeça, tosse seca e febre.

Falta de ar e outros problemas respiratórios também são sintomas comuns nas duas situações. Em manifestações graves, acontece a chamada Síndrome Respiratória Aguda Grave. Entretanto, existem diferenças sutis que podem ser observadas.

— A perda de olfato e paladar tende a acontecer apenas na infecção pelo Covid-19 — explica a médica.

Além disso, a Influenza costuma surgir de forma aguda, com febre intensa e forte dor no corpo. A covid-19, por outro lado, tem uma evolução mais progressiva — começa com sintomas brandos e chega a piorar com o tempo, inclusive podendo apresentar complicações em diversos órgãos além dos pulmões.

É possível ser infectado pelas duas doenças simultaneamente?

De acordo com a Dra. Fernanda de Castro, é possível ser contaminado duplamente.

— É possível, temos visto casos do exame PCR positivo para os dois vírus, o que significa que no exame encontraram material genético do SARS-CoV2 e da Influenza A. Até o momento não conseguimos definir se os sintomas são causados apenas por um deles ou se os dois são responsáveis pelos sintomas do paciente — relata a especialista.

Para confirmar qualquer suspeita, realizar a testagem é uma atitude indispensável que protege não apenas o paciente, mas todos ao redor.

Realizar a testagem é fundamental

Saber diferenciar os sintomas entre Covid-19 e Influenza é importante, mas apenas o teste pode elucidar o caso. Confirmar a infecção permite o isolamento precoce do paciente e, consequentemente, evita que outras pessoas do convívio sejam contaminadas. Essa medida de contenção evita a escassez de testes e a superlotação das unidades de saúde, que precisam de espaço e estrutura para atender todos os tipos de ocorrência, que vão muito além das infecções respiratórias.

O Laboratório Santa Catarina, referência em exames laboratoriais e análises clínicas no Estado, há 47 anos oferece segurança nos testes realizados e hoje conta com todos os exames disponíveis, tanto de Covid-19 quanto de Influenza. A infectologista Fernanda de Castro explica qual exame é melhor para cada doença.

— O melhor exame para detectar a Influenza é o PCR, que consiste na coleta de material da nasofaringe, ou seja, coleta através de um swab da secreção nasal — comenta.

Laboratório SC - NSC
Laboratório SC é referência no estado.
(Foto: )

O protocolo para Covid-19 é um pouco diferente, conforme detalha a médica.

— Os principais testes para o diagnóstico de Covid-19 são o PCR e o antígeno, coletados da secreção nasal, sendo o PCR a melhor maneira de confirmar a doença. Se a suspeita for alta e o antígeno der negativo, a orientação é fazer o exame PCR na sequência — esclarece.

Veja como tratar cada uma das doenças

Testou positivo? Então é hora de se isolar e cuidar da saúde. A Dra. Fernanda explica qual é o melhor tratamento durante a infecção:

— As duas infecções são causadas por vírus, ou seja, não há a necessidade da utilização de antibióticos. Tratamos os sintomas apresentados pelo paciente, como febre e dor no corpo. Hidratação é de extrema importância para auxílio no controle da tosse — orienta.

Repouso, alimentação saudável e rica em nutrientes também são importantes para auxiliar o corpo no período de recuperação.

Laboratório de SC é referência em exames no Estado

Com mais de quatro décadas de história, o Laboratório Santa Catarina se destaca pelo pioneirismo na área de cardiologia e hematologia, com exames avançados de alta tecnologia e uma equipe médica focada no atendimento humanizado e de excelência.

Entre os diferenciais do Laboratório, destacam-se as coletas domiciliares e empresariais, a área técnica com atendimento 24 horas, o atendimento infantil especializado, sala-conforto para exames especiais e acesso a resultados de exame via internet.

Saiba mais sobre o Laboratório Santa Catarina acessando o site.

Leia também

Preocupação com a saúde masculina não deve se limitar ao penúltimo mês do ano

Vai sair de férias? Não deixe o planejamento de lado

Colunistas