nsc

Sanamento básico na Ilha

João Paulo, Saco Grande e Monte Verde terão coleta e tratamento de esgoto

Obra de mais de R$ 100 milhões vai beneficiar também Cacupé, Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui

20/08/2020 - 19h13 - Atualizada em: 20/08/2020 - 19h20

Compartilhe

Luiz
Por Luiz Gonzaga
João Paulo será um dos bairros beneficiados pela coleta e tratamento de esgoto
João Paulo será um dos bairros beneficiados pela coleta e tratamento de esgoto
(Foto: )

Um investimento de R$ 103,7 milhões vai levar coleta e tratamento de esgoto aos bairros João Paulo, Monte Verde e Saco Grande, em Florianópolis. A ordem de início da obra foi assinada nesta quinta-feira (20) pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL) e pela presidente da Companhia Catarinense de Saneamento (Casan), Roberta Maas dos Anjos. Também serão contemplados Cacupé, Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui.

A obra é considerada pelo governo o maior investimento em uma obra de saneamento da Casan no Estado. Serão construídos 57 quilômetros de rede coletora e uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) com capacidade de depurar 85 litros por segundo. A ETE terá um nível terciário de tratamento, que garante uma maior qualidade do processo. Ao todo, mais de 33 mil moradores serão beneficiados pelas obras, que tem um prazo de 34 meses para conclusão.

A maior parte dos recursos vem do Oriente. São 73% provenientes de um financiamento com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA). Os demais 27% são a contrapartida da Casan.

O novo sistema também interligará os 12,8 quilômetros de redes de coleta e 811 ligações domiciliares já implantadas, na década passada, nos bairros de Cacupé, Sambaqui e Santo Antônio de Lisboa, que aguardam a ETE para entrar em operação.

Estação de tratamento de esgoto da Casan terá ampliação em Florianópolis

Os impactos do novo Marco Legal do Saneamento em Santa Catarina

- Essa obra terá um impacto direto para as famílias e também para todos aqueles que frequentam a Ilha de Santa Catarina e os seus balneários. Investir em esgotamento sanitário é importante para as futuras gerações, com um desenvolvimento mais sustentável. Também vale destacar a nossa importante parceria com a JICA. Mostramos para eles que é possível começar e terminar obras no Brasil e em nosso Estado - afirmou o governador.

Emissário submarino: detalhes do projeto são apresentados a moradores em Florianópolis

Risco ambiental é não implantar o emissário, afirma engenheiro da Casan

Vereador questiona emissário e defende sistemas descentralizados em Florianópolis

A presidente da Casan destacou que, com as obras em andamento ou prestes a começar, a cobertura de esgotamento sanitário chegará a 72% em Florianópolis. Roberta dos Anjos lembra que a obra ajudará na preservação do meio ambiente e no fomento do turismo e da maricultura:

- A partir do momento em que tratamos o esgoto, preservamos também os nossos mananciais. Isso também melhorar a saúde pública, com a diminuição de doenças - afirmou.

Outras obras na Capital

O investimento em Florianópolis integra o Programa de Saneamento Ambiental do Estado de Santa Catarina, com recursos garantidos junto à JICA. A construtora Itajuí, com sede em Curitiba, foi a vencedora do processo licitatório.

Atualmente estão em execução a implantação de rede e de estações de tratamento nos Ingleses e no Sul da Ilha. O governo promete dar ordem de serviço para ampliação de todo o Sistema Insular ainda em 2020. Com isso, a cobertura de esgotamento sanitário de Florianópolis deverá chegar a pelo menos 72%, informa a Casan.

Colunistas