nsc
an

Visita

Joinville reforça pedido por envio de mais doses da vacina durante visita de Moisés

Governador oficializou abertura de 20 novos leitos de UTI em hospital da cidade

26/03/2021 - 15h46 - Atualizada em: 26/03/2021 - 15h51

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Reunião contou com a presença do prefeito de Joinville e secretários da Saúde do estadual e municipal
Reunião contou com a presença do prefeito de Joinville e secretários da Saúde do estadual e municipal
(Foto: )

Em passagem por Joinville nesta sexta-feira (26), o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, analisou uma série de medidas adotadas na maior cidade do estado para o enfrentamento à Covid-19. 

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Durante o encontro, o prefeito de Joinville, Adriano Silva, reforçou o pedido ao governo estadual para que o envio a Joinville das doses da vacina seja intensificado. 

- Somente assim poderemos ampliar o percentual de imunização na cidade - destaca Adriano.

Também foram pontuadas as estratégias de assistência à população. O governador ressaltou a importância da aplicação dos imunizantes aos grupos prioritárias. 

AO VIVO: acompanhe a votação do impeachment do governador de SC no caso dos respiradores

- Neste momento, a vacinação é a nossa principal medida para conter o avanço da contaminação - enfatiza o governador. 

O Governo de Santa Catarina também oficializou a abertura de 20 novos leitos de terapia intensiva no Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, dos quais dez já estão em funcionamento e outros dez serão ativados nos próximos dias.

> Joinville lança edital para compra de leitos; é o terceiro em uma semana

Os secretários da Saúde do Município, Jean Rodrigues da Silva, e do Estado, André Motta Ribeiro, também estiveram presentes. 

Impeachment

Em visita a Joinville nesta sexta-feira, o governador Carlos Moisés também se manifestou sobre a votação do pedido de abertura do processo de impeachment, em sessão em andamento

- Nossa expectativa é que a justiça seja feita. Nós entendemos desde o início de que não há justa causa para esse processo, não há implicação de fato na figura do governador, não há responsabilidade direta do governador e entendemos que a Justiça deve ser feita - afirmou o governador, ao ser questionado sobre o tema em entrevista coletiva.

Leia também:

> Voto de relatora por afastamento de Moisés é banho de água fria no favoritismo do governador

> Deputado levou voto contra e a favor para julgamento do impeachment

Colunistas