Quem aí gosta de waffle? E se for no formato de um pênis ou de uma vagina, você come? Um jovem de 24 anos decidiu investir nessa ideia e criou a primeira waffleria erótica de Blumenau. Aos 24 anos, Henrique Gabriel Espíndola largou o emprego de mecânico e há um mês se dedica exclusivamente ao novo negócio. Ele garante que a expectativa de venda está sendo alcançada.

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

Para abrir a Proibida, como foi batizada, Henrique investiu cerca de R$ 80 mil, formalizou a abertura da empresa, contratou um funcionário e comprou as máquinas no exterior. O jovem conta que vende em média cerca de 40 waffles por dia, quantidade que sobe aos finais de semana. É ele mesmo, inclusive, quem coloca a mão na massa e prepara os doces e salgados.

A proposta do negócio surgiu durante uma visita à cidade, quando ele e a esposa vieram de Barra Velha, onde moram, para prestar um concurso público. Depois de dois meses de estudo de mercado, a decisão estava tomada e nasceu a waffleria erótica. O casal pensou junto desde o nome da empresa até os do cardápio: aceita uma Piroca de chocolate ou uma Xereca com recheio de leite ninho?

— Nós nos perguntamos o que Blumenau não tinha. Aí caminhamos pela cidade e começamos uma pesquisa no Instagram. Vimos essa waffleria erótica na Europa, que até rendeu polêmicas, e falamos: “Imagina abrir uma em Blumenau, será que as pessoas iam gostar?”. Pesquisamos mais um pouco e então decidimos investir no negócio — explica Henrique.

Continua depois da publicidade

O ex-mecânico gerencia a empresa sozinho durante a semana enquanto a esposa, Gabriela Rodrigues Fogaça, de 26 anos, trabalha como técnica de enfermagem em uma prefeitura do Litoral Norte. Antes sem habilidades para a cozinha, o jovem aprendeu a fazer a massa para oferecer um produto fresco. Quem vai até a loja consegue comprar um Piroffles ou uma Xoxoffles a partir de R$ 18.

Deu frio na barriga no dia da inauguração, ele não esconde, mas a resposta foi positiva. Tanto que agora o casal planeja se mudar para Blumenau, para não precisar rodar quase 150 quilômetros todos os dias.

— O público gostou muito. Dá bastante movimento, graças a Deus. No primeiro dia teve até fila.

Veja fotos da waffleria erótica de Blumenau

Diversão garantida

O público é na maioria jovens, que já chegam com as piadas na ponta da língua, mas os mais grisalhos também costumam aparecer. Até os mais sérios têm dado o ar da graça. Isso porque a proposta não é simplesmente oferecer uma refeição, mas proporcionar um momento de descontração aos clientes. Jonathan Wilian, o atendente da Proibida, diz que ao cruzar a porta da loja as piadas começam.

Continua depois da publicidade

— As mulheres já chegam tirando fotos, rindo, e os homens mais sérios, mas aí eu começo a fazer brincadeiras também, mostro como tirar fotos.

Ele, que era motoboy e já na entrevista de emprego fez questão de destacar a inabilidade na confeitaria, é hoje quem decora os produtos com inspirações tiradas da internet. Jonathan embarcou na proposta do negócio e, inclusive, elenca os mais pedidos: Tinder Date, Contatinho, Sugar Mommy e Crush.

O nordestino já virou, até, uma espécie de garoto propaganda da loja.

Leia mais

Conheça séries “picantes” da Netflix para esquentar a relação

Alta procura por aumento peniano faz clínica de Blumenau criar lista de espera

Por que atrizes como Glamour Garcia escolhem Blumenau para cirurgia de mudança de sexo

Destaques do NSC Total