nsc
santa

Sonhava grande

Jovem morta atropelada após assédio queria fazer faculdade de estética, diz tia

De acordo com a tia, a menina viu que o carro se dirigia ao local onde ela e o namorado estavam, mas não imaginou que seria uma vítima

11/10/2021 - 21h13

Compartilhe

Redação
Por Redação Santa
Vanessa Machowski morava em Itajaí há 11 anos e namorava há cerca de três
Vanessa Machowski morava em Itajaí há 11 anos e namorava há cerca de três
(Foto: )

A jovem de 18 anos que morreu atropelada por um homem que a havia assediado verbalmente minutos antes, sonhava em fazer faculdade de estética e abrir o próprio salão, conta a tia Léia Oliveira. Vanessa Machowski morava em Itajaí, no Litoral Norte de Santa Catarina. As informações são do G1 SC.

> Receba notícias do Vale do Itajaí pelo WhatsApp

De acordo com a Polícia Militar (PM), o suspeito, de 35 anos, teria jogado o carro contra a jovem em alta velocidade. O crime aconteceu na noite de domingo (10). O motorista foi preso em flagrante por homicídio qualificado e embriaguez ao volante. Na tarde desta segunda (11), o homem já estava no presídio.

Segundo a tia, Vanessa fazia sempre brincadeiras, era carinhosa e extrovertida, muito querida com todos.

— Ela era uma menina que não via maldade nas pessoas. Tanto que ela viu o homicida vindo em direção do caminhão que eles [a jovem e o namorado] estavam, mas nunca imaginou que seria ela própria a vítima — disse a tia.

> Filho mata a própria mãe a tiros e facadas, foge de bicicleta e acaba preso

A jovem tinha terminado o ensino médio no fim do ano passado e trabalhava como babá de duas crianças. Ela sonhava grande, relembra Léia: 

— Pretendia fazer faculdade de estética, gostava muito da área da beleza. 

Nascida em Rio Azul, no Paraná, Vanessa morava em Itajaí há 11 anos e namorava há cerca de três. O corpo dela será sepultado em Itajaí na manhã de terça (12).

*Informações do G1 SC.

Leia também

Professor suspeito de assédio sexual contra 14 alunas é afastado em SC

Mulher é encontrada morta ao lado do marido em Itajaí e caso intriga polícia

Mulheres que atuam no mercado imobiliário em SC são vítimas de assédio sexual e moral, aponta Creci

Colunistas