nsc
dc

Santa Catarina

Litoral catarinense é destaque no Globo Repórter desta sexta-feira

Programa levou cerca de 6 meses para ser produzido pela equipe da NSC TV

03/12/2021 - 05h00 - Atualizada em: 03/12/2021 - 08h56

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
A repórtagem durou cerca de seis meses para ser produzida
A repórtagem durou cerca de seis meses para ser produzida
(Foto: )

Das histórias de pescador, que vão além de quando "o mar está para peixe", às paisagens exuberantes do Litoral Catarinense. No Globo Repórter desta sexta-feira (3), as riquezas que compõem todo o litoral do Estado serão destaque do programa. O Globo Repórter vai ao ar nesta sexta-feira à noite, logo após a novela Um Lugar ao Sol. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A equipe viajou cerca de seis meses por diversas regiões do Estado, a fim de apresentar os desenhos naturais e tradições litorâneas, além de vivências que fazem parte da construção da cultura catarinense. 

- Buscamos as tradições litorâneas mais enraizadas. Aquelas que os pescadores forjaram em séculos com o vento e o mar. Sua capacidade de aprender com a natureza. Seu engenho na luta pelo sustento - explica o jornalista Ricardo Von Dorff.

Entre as histórias que serão destaques do programa, está a do pescador mais antigo de Santa Catarina. 

Histórias e registros raros serão exibidos durante o programa
Histórias e registros raros serão exibidos durante o programa
(Foto: )

- Assim como fazemos diariamente nos telejornais, vamos levar Santa Catarina mais uma vez para todo o Brasil. A cada exibição especial atraímos novos olhares para cá, fortalecendo a imagem do Estado, além de fomentar o turismo e a economia local -, afirma Daniella Peretti, gerente-geral de telejornalismo da NSC TV.

Registros raros

As produções começaram no mês de maio e, por se tratar de um programa voltado para a natureza, o vento nem sempre esteve a favor das gravações. 

Além das paisagens que atraem os visitantes para Santa Catarina, o programa vai exibir imagens da espécie do menor golfinho do Brasil, a toninha da baía da Babitonga, em São Francisco do Sul. O animal é conhecido como "golfinho invisível", considerado raro e muito difícil de ser observado.

> Temporada da pesca da tainha em SC termina com 1,8 mil toneladas; cota baixa afetou a pesca

Com autorização do Instituto do Meio Ambiente (IMA), apoio da Polícia Militar Ambiental e auxílio de biólogos, a equipe chegou ao santuário de reprodução de aves marinhas, localizado a 10 quilômetros da ilha de Santa Catarina, entre Florianópolis e Palhoça. Lá, vive um dos mamíferos mais raros do mundo: o preá. 

A espécie, que não tem registros de habitação em nenhum outro lugar do planeta, possui uma população estimada em 50 roedores. O animal é considerado o menor mamífero em distribuição geográfica.

> Vídeo: pescadores comemoram lanço que capturou 15 mil tainhas em Palhoça

- Este Globo Repórter do Litoral fala muito sobre preservação. A preservação da nossa história e da nossa natureza. Elas são preciosas demais pra se perder. Tive o prazer de dividir esta aventura de descobertas com os repórteres cinematográficos Mateus Castro e Marcos Schmitt. E elas foram muitas -, destaca Von Dorff.

Equipe de produção

Para a realização deste Globo Repórter no Litoral Catarinense, estiveram na equipe de gravações externas o jornalista e apresentador Ricardo Von Dorff, os repórteres cinematográficos Mateus Castro e Marcos Schmitt e o auxiliar técnico Maurício Veloso.

> Ilha de SC é o único lugar do mundo a abrigar mamífero ameaçado de extinção

> Gato-do-mato, ameaçado de extinção, é atropelado e morto em Criciúma

A direção do programa foi realizada pela coordenadora do núcleo Globo na NSC TV Margarida Santi, com edição e produção de Elaine Simiano, Mario Gomes e Beatriz Azevedo.

Equipe responsável pelo projeto
Equipe responsável pelo projeto
(Foto: )

Leia também

Baía da Babitonga é laboratório de preservação das toninhas em São Francisco do Sul

Raia ameaçada de extinção aparece pela primeira vez em SC; veja vídeo

Casos de escorpião-amarelo quase dobram em Itajaí e geram alerta à população

Colunistas