nsc
dc

Superlotação

Maioria das crianças que aguardam leitos de UTI em SC está com doenças respiratórias

De acordo com a SES, pacientes tem entre um mês e 13 anos; Serra concentra maior número de crianças em espera

31/05/2022 - 05h00 - Atualizada em: 31/05/2022 - 10h48

Compartilhe

Luana
Por Luana Amorim
Pneumonia e Covid-19 estão entre as doenças de quem espera pela vaga
Pneumonia e Covid-19 estão entre as doenças de quem espera pela vaga
(Foto: )

Dos 13 pacientes pediátricos que aguardam por um leito de UTI em Santa Catarina, nove estão com alguma doença respiratória. Isto representa 69,23% dos casos, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Os dados são da noite de segunda-feira (30). 

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Segundo a pasta, entre os pacientes que aguardam pela vaga na Central Estadual de Regulação de Internações Hospitalares (CERIH), há crianças com pneumonia, bronquiolite e Covid-19. Já os demais, precisam de algum serviço especializado devido a outras doenças. 

> SC chega a 100% de ocupação em UTIs pediátricas e governo anuncia mais 68 leitos

As crianças têm entre um mês e 13 anos. A maioria está na Serra Catarinense: quatro aguardam por uma vaga na região. Nas demais, a situação é a seguinte: 

  • Grande Florianópolis: 1
  • Sul: 3
  • Vale do Itajaí: 1
  • Foz do Rio Itajaí: 1
  • Grande Oeste: 2

Ainda segundo a SES, todos os pacientes estão recebendo assistência médica. 

SC abre 68 novos leitos 

Nesta segunda-feira (30), Santa Catarina chegou a 100% de ocupação nos leitos de UTI pediátrica em todas as regiões do Estado - todas as 90 vagas estavam preenchidas. No caso das UTIs neonatais, a ocupação era de 85,4%, com 43 disponíveis entre os 294 ativos.

Por conta da superlotação, a SES anunciou que irá abrir 68 novos leitos, divididos em UTI neonatal, UTI pediátrica e leitos de retaguarda. Eles serão abertos, de forma progressiva, em até 90 dias. 

> Governo de SC estuda decretar situação de emergência em saúde devido a doenças respiratórias

O Estado, no entanto, anunciou uma articulação com superintendências para compra de equipamentos e contratação de profissionais, o que pode fazer com que os leitos estejam em funcionamento a partir de 10 dias.

O governo aponta que os novos leitos representam um aumento de 13% no total de vagas neonatais ativas atualmente e de 33%, no caso dos leitos. Eles serão abertos em 10 hospitais de SC. Serão 38 novos leitos de UTI neonatal e 30 de vagas pediátricas, maior gargalo atual no Estado.

Em nota, a secretaria informou que desde o início do ano "há um trabalho dedicado à ampliação dos leitos, não apenas os de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), bem como dos leitos clínicos de retaguarda". 

Além disso, a pasta afirma que "há um trabalho dedicado à ampliação dos leitos, não apenas os de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), bem como dos leitos clínicos de retaguarda". O Estado também busca parceria com estados vizinhos para, caso seja necessário, fazer a transferências desses pacientes. 

Leia também: 

SC investiga primeiro caso suspeito de varíola dos macacos

Em SC, Queiroga afirma que Ministério da Saúde está "vigilante" para casos de hepatite e varíola

Florianópolis quer multa de R$ 5 mil para quem mantiver terreno com foco de dengue

Colunistas