Nos últimos 12 meses, Florianópolis reintegrou cerca de 670 pessoas em situação de rua de volta às suas cidades de origem. De acordo com a prefeitura da Capital, a família ou serviço social do local de origem são contatos, e, caso o indivíduo aceite voltar a cidade natal, o município faz a compra das passagens.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

A Maria, com seu filho ainda bebê, é uma das 100 pessoas que o município já enviou às cidades natal em 2024. Segundo a prefeitura, ela veio de Porto Alegre depois de uma discussão familiar e estava em situação de rua.

Há algumas semanas, depois de abordada por equipes de assistência social, mãe e filho foram para um hotel da prefeitura até serem convencidos a retornar. Eles embarcaram em um ônibus, na última quinta-feira (15), acompanhados pelo prefeito Topázio Neto.

— Muita gente acha que estamos enxugando gelo, porque à medida que reintegramos essas pessoas, chegam novas. Mas na verdade estamos evitando um Iceberg. Imaginem se não tivéssemos feito essas mais de 670 reintegrações […] Sempre que mandamos alguém de volta, é por sua vontade própria, e terá um serviço lhe esperando no destino. Para que não se torne um ciclo interminável — destacou o prefeito Topázio Neto.

Continua depois da publicidade

Leia também

MPSC identifica origem de ônibus com 44 pessoas em situação de rua enviado a Florianópolis

Florianópolis tem a 2ª menor taxa de desemprego entre as capitais do país

Por que ônibus que veio da Bahia para Florianópolis gerou tanta repercussão

Destaques do NSC Total