O médico Leandro Medice, de 41 anos, foi encontrado morto em um abrigo em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, na manhã desta segunda-feira (13). O cardiologista era voluntário para ajudar as vítimas da chuva no estado gaúcho e morava em Vila Velha, na Grande Vitória. Medice pode ter sofrido um mal súbito. As informações são do g1.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

O marido de Leandro Medice, João Paulo Martins, disse ao g1 que o companheiro não apresentava histórico de doenças.

Médico voluntário do ES gravou vídeo antes de morrer em abrigo no RS

— Ele era muito saudável, sempre cuidou da saúde. Nunca teve histórico nenhum de problemas. Eu ainda não consigo acreditar no que aconteceu. Quando me contaram, pensei que fosse brincadeira. Ele foi para ajudar as pessoas e aconteceu essa tragédia — contou João Paulo.

Continua depois da publicidade

Ainda de acordo com o marido, Leandro havia trabalhado a semana inteira com cirurgias na empresa de estética capilar dos dois, na Praia da Costa, em Vila Velha. Ele organizou a viagem ao Rio Grande do Sul com um grupo de amigos, que também eram médicos.

— O voo para o Sul estava marcado para às 3h de domingo (12). A intenção era chegar pela manhã e voltar para Vitória na segunda-feira (13) à noite. Ele tinha uma agenda para cumprir na clínica no dia seguinte — explicou.

João Paulo contou que, no domingo (12), o médico trabalhou o dia inteiro aferindo pressão e realizando atendimentos às vítimas da chuva na região.

Ajuda voluntária às vítimas

O médico cardiologista viajou com três médicos para atender as vítimas da chuva no Sul do Rio Grande do Sul. Eles saíram às 3h em um jato particular.

Continua depois da publicidade

Como doar mantimentos e produtos ao RS

Por telefone, Leandro contou ao marido que foi recebido com muito carinho no abrigo no domingo. Ele disse que havia trabalhado o dia inteiro, e que ia dormir para estar “pronto para trabalhar” nesta segunda-feira.

— Leandro roncava um pouco e, por isso, preferiu dormir mais afastado dos amigos. Me contou que era tudo muito organizado, que conseguiram um colchão muito limpo e que já estava com saudade de mim. Estávamos juntos há seis anos e disse que não lembrava qual tinha sido a última vez que tinha viajado sozinho — contou João Paulo.

O companheiro compartilhou que, ao amanhecer, o cardiologista não compareceu ao ponto de encontro, no horário que haviam combinado.

— Ele sempre foi muito pontual. As amigas foram até ele e já o encontraram morto — relatou ao g1, em prantos.

Continua depois da publicidade

Leandro Medice era fisioterapeuta. Ele se formou em Medicina e fez uma especialização em Cardiologia, e trabalhava como médico intensivista. Medice também trabalhou no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Recentemente, se dedicava à estética capilar, em uma empresa com o marido.

Leia mais

Coordenador da Defesa Civil de Joinville, Jairo Machado relata experiência voluntária em resgate no RS

Viatura da guarda civil de São Paulo que voltava do RS capota em SC

Três aeroportos de SC fazem parte da malha aérea emergencial para atender o RS; veja quais

Destaques do NSC Total