nsc
hora_de_sc

Coronavírus

Médicos de hospital de Florianópolis pedem que unidade deixe de ser referência para Covid-19

Diretora Clínica da Maternidade Carmela Dutra alega falta de capacidade técnica da unidade

02/03/2021 - 13h20

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Médicos da Maternidade Carmela Dutra dizem que unidade não tem capacidade para atender grávidas com Covid-19
Médicos da Maternidade Carmela Dutra dizem que unidade não tem capacidade para atender grávidas com Covid-19
(Foto: )

A diretora clínica da Maternidade Carmela Dutra, em Florianópolis, encaminhou na segunda-feira (1º) um documento à Secretaria de Estado da Saúde (SES) pedindo que a unidade deixe de ser referência para atendimento de gestantes com Covid-19. Segundo Andréa Antunes Caldeira de Andrade Ferreira, o local não tem capacidade técnica para atender pacientes com a doença. Assim, há risco de que essas pessoas tenham um agravamento rápido do quadro de saúde e óbito, alega Andréa.

A reportagem questionou a Secretaria Estado da Saúde sobre a questão. Segundo a SES, o texto não é um documento oficial da Direção da Maternidade Carmela Dutra e que o mesmo foi enviado sem a legitimidade necessária junto à Direção Geral da unidade.

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Além da SES, o documento tem como destinatários a gerência técnica e a direção geral da Maternidade, a Superintendência dos hospitais públicos e o Serviço de Regulação Estadual de Leitos de SC. 

“Solicitamos encarecidamente que a Maternidade Carmela Dutra deixe de ser referência para gestantes com Covid, pois não tem capacidade técnica para atendimento desta demanda, com risco de agravamento rápido e óbito destas pacientes (pois não temos condições nem de estabilizá-las enquanto aguardam vagas para outras unidades”, diz o documento.

No documento, que fala em nome dos médicos obstetras da maternidade, é destacado que o hospital não dispõe de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nem semi-intensiva para adultos. Faltam também, segundo os profissionais, equipamentos para internação de doentes com Covid-19.

> Técnica de enfermagem morre de Covid-19 sem vaga na UTI

“Nossa unidade não dispõe de Unidade de Terapia Intensiva para Adultos, nem semi-intensiva e nem qualquer tipo de leito (nem profissionais) que atendam esse tipo de demanda (pacientes com doenças clínicas ou respiratórias graves) Também não temos unidades equipadas para o atendimento destas pacientes, como suporte ventilatório, rede de oxigênio, etc”, diz um trecho do documento.

A unidade tinha apenas um dos dez leitos de UTI neonatal disponível na noite desta segunda-feira (1º). Os dados são do painel de leitos SUS, atualizado pela SES. A alta ocupação de pacientes também é uma das reclamações do grupo.

> Pacientes de Santa Catarina com Covid-19 serão transferidos para o Espírito Santo

Segundo eles, a maternidade tem operado quase que 100% do tempo no limite se suas possibilidades. Faltas pontuais de medicamentos e insumos também foram registradas, de acordo com o documento.

Próxima pandemia: de onde virá?

Leia mais:

Ator Reynaldo Gianecchini curte as ostras de Floripa

Secretários Estaduais de Saúde pedem fechamento de praias, escolas e toque de recolher no Brasil

Pacientes que chegam às UTIs em SC são mais jovens, mais graves e sem comorbidades

Colunistas