Uma megaoperação contra corrupção deflagrada na manhã desta terça-feira (6) mira 28 cidades de Santa Catarina, 25 empresas e agentes públicos. A “Mensageiro” investiga suspeita de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro no setor de coleta e destinação de lixo dos municípios. Ao todo, são 96 alvos das buscas, que envolvem órgãos públicos, residências particulares e empresas.

Continua depois da publicidade

Prefeito de SC é preso quando fazia agenda em Brasília

Receba notícias do DC via Telegram

Nesta manhã, estão sendo cumpridos 15 mandados de prisão preventiva e 108 mandados de busca e apreensão. Os municípios alvos da operação do Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público são: Joinville, Itapoá, Barra Velha, Campo Alegre, Três Barras, Corupá, Canoinhas, Mafra, Schroeder, Guaramirim, Papanduva, Balneário Barra do Sul, Major Vieira, Bela Vista do Toldo, Lages, Pescaria Brava, Laguna, Imaruí, Braço do Norte, Tubarão, Capirvari de Baixo, Agrolândia, Apiúna, Ibirama, Presidente Getúlio, Brusque, Imbituba e Pien (PR).

Participam da operação cerca de 220 policiais, entre civis, militares e rodoviários federais, além de 23 promotores de Justiça. As ordens judiciais foram solicitadas pela Subprocuradoria-Geral de Justiça para Assuntos Jurídicos e pelo Geac do MP e deferidas pelo Tribunal de Justiça Santa Catarina.

Continua depois da publicidade

A Promotoria não deu mais detalhes da operação porque a investigação corre em segredo de justiça.

Cerca de 70 investigações em 2022

Somente este ano, o Gaeco — força-tarefa coordenada pelo MPSC e composta por integrantes da polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal a Secretaria Estadual da Fazenda, Corpo de Bombeiros —instaurou 69 procedimentos investigativos para apurar crimes contra a Administração Pública e os tipificados pela Lei de Licitações.

Ao todo, foram  cumpridos 331 mandados de busca e apreensão e 171 mandados de prisão. Além disso, houve 19 autos de prisão em flagrante e três agentes públicos foram afastados de suas funções públicas.

Leia também

Cortes milionários em universidades de SC impedem pagamentos de fornecedores e bolsistas

Cultivo de maconha na UFSC é exemplo para demais universidades no Brasil

Governo recua de bloqueio no orçamento de universidades e institutos federais

Destaques do NSC Total