nsc
dc

Investigação

Ministério da Saúde decide exonerar diretor após denúncia de propina por vacina

Medida foi publicada nesta quarta-feira (29) no Diário Oficial da União

30/06/2021 - 06h09 - Atualizada em: 30/06/2021 - 07h32

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Exoneração ocorre em meio a investigações sobre suspeitas de irregularidades na compra da vacina Covaxin
Exoneração ocorre em meio a investigações sobre suspeitas de irregularidades na compra da vacina Covaxin
(Foto: )

O Ministério da Saúde exonerou o diretor de Logística da pasta, Roberto Ferreira Dias. A medida ocorre em meio a uma denúncia de que ele teria cobrado propina de um representante de uma vendedora de vacinas. Também ocorre em meio a investigações sobre suspeitas de irregularidades na compra da vacina Covaxin.

> Saiba como receber notícias de Santa Catarina no WhatsApp

A exoneração foi publicada nesta quarta-feira (29) no Diário Oficial da União. A decisão foi tomada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Em entrevista exclusiva à Folha de S. Paulo, Dominguetti Pereira, representante da empresa Davati Medical Supply, afirmou que recebeu de Dias um pedido de propina de US$ 1 por dose em troca de fechar contrato com o Ministério da Saúde.

Segundo ele, Dias cobrou a propina em um jantar no restaurante Vasto, no Brasília Shopping, região central da capital federal, no dia 25 de fevereiro.

Roberto Dias foi indicado ao cargo pelo líder do governo de Jair Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). Sua nomeação ocorreu em 8 de janeiro de 2019, na gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM).

Em uma rede social nesta terça, Barros negou ter indicado Dias ao posto. 

Leia mais:

Anvisa recebe pedido de uso emergencial da Covaxin

Mortes de mãe e bebê chocam Lauro Müller, no Sul de SC

Neve no meio da tarde surpreende turistas em Urupema

Aposta de Blumenau fatura mais de R$ 25,6 milhões

Colunistas