nsc
    dc

    Violência 

    Morte de Brenda é considerada feminicídio, e SC chega a 43 casos no ano

    Adolescente de 14 anos foi morta pelo ex-namorado da mãe no mês passado

    11/10/2019 - 11h06 - Atualizada em: 12/10/2019 - 06h08

    Compartilhe

    Lariane
    Por Lariane Cagnini
    Brenda tinha 14 anos e foi morta no mês passado
    (Foto: )

    O acusado de matar Brenda da Rocha Carvalho, 14 anos, será indiciado por homicídio quadruplamente qualificado. O crime ocorreu em setembro desse ano, em Passo de Torres, no Sul de Santa Catarina. O delegado responsável pelo caso, Lucas Fernandes da Rosa, disse que o homem de 30 anos vai responder por motivo torpe, meio cruel, traição e feminicídio.

    Com essa qualificadora, chega a 43 o número de feminicídios em Santa Catarina no ano, número que ultrapassa os 42 registrado nos 12 meses de 2018.

    O ex-namorado da mãe, acusado do crime, está no Presídio Regional de Araranguá desde o dia 18 de setembro. Agora, o delegado vai representar que a prisão temporária seja convertida em preventiva, para que o acusado permaneça detido até que o crime seja julgado.

    O inquérito policial será concluído nesta sexta-feira e encaminhado à Comarca de Santa Rosa do Sul, que abrange o município de Passo de Torres, onde Brenda foi morta. Ela levou cerca de 60 facadas e foi deixada em uma área rural, em uma plantação de eucaliptos.

    — Torpe pois ele disse que praticou o crime por estar com raiva da mãe da menina. A qualificadora de meio cruel foi porque a vítima foi atingida por vários golpes de faca, e ele demonstrou que não tinha nenhum tipo de piedade. A traição é porque ele se valeu da relação de confiança que tinha com ela. Por fim, o feminicídio, pois verificamos que ela tinha dentes quebrados, lesões nos lábios, ou seja, ele quis atingir a parte da vítima ligada à beleza, essa condição de ser mulher, e por essa razão entendemos também essa qualificadora — detalhou o delegado.

    O acusado foi ouvido novamente essa semana, e manteve a confissão de crime. Ele voltou a dizer que não cometeu nenhum ato sexual com a menina, e o delegado aguarda o laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP) para checar essa informação. Ele voltou a dizer que levou a menina pois queria saber mais sobre o relacionamento atual da mãe dela, e que como Brenda não deu detalhes, ele se irritou e atacou a adolescente.

    ​Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas