nsc
dc

Investigação

Morte de professor em Abelardo Luz pode ter ligação com dois assassinatos no Paraná

Robson Paim, 36 anos, foi encontrado morto em casa em abril; outros casos aconteceram em Curitiba

12/05/2021 - 13h58 - Atualizada em: 12/05/2021 - 16h24

Compartilhe

Catarina
Por Catarina Duarte
Robson Paim
Professor universitário Robson Paim morreu aos 36 anos
(Foto: )

A morte do professor Robson Paim, 36 anos, em Abelardo Luz, no Oeste de SC, que aconteceu há quase um mês, pode estar associada a outros assassinatos no Paraná. A Polícia Civil dos dois estados ainda apura os casos e não descarta a relação entre eles. Até o momento, ninguém foi preso.

> Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Em páginas dedicadas ao público LGBTI+ circulam informações de que as três vítimas teriam marcado encontros por meio do aplicativo Grindr antes dos assassinatos. A visão é reforçada pelo Grupo Dignidade.

A investigação da polícia é acompanhada pelo Grupo Dignidade, ONG que apoia a população LGBTI+, que cobra justiça pelas três vítimas.

— A perspectiva [dos crimes] é de encontro através de aplicativo de relacionamento e, depois de se encontrar com o suspeito, acaba acontecendo o assassinato. É o mesmo modus operandi — diz o advogado do Grupo Dignidade, Marcel Jeronymo.

Robson foi encontrado morto no dia 17 de abril na casa em que morava sozinho, em Abelardo Luz. Segundo a Polícia Militar (PM), ele tinha sinais de violência no corpo. O carro do professor universitário foi encontrado no mesmo dia na região metropolitana de Curitiba.

Os assassinatos no Paraná aconteceram em abril e maio. O primeiro deles foi no dia 30 do mês passado. Um enfermeiro foi encontrado morto no próprio apartamento em Curitiba. Ele estava com as mãos amarradas.

A segunda morte foi registrada no dia 5 de maio. A vítima era estudante de medicina e foi encontrada com sinais de esganadura. O caso também aconteceu em Curitiba.

> Casal de turistas é resgatado depois de ser ‘esquecido’ na roda gigante de Balneário Camboriú

O delegado Thiago Nóbrega, da 3ª Delegacia de Homicídios de Curitiba, disse que houve uma troca de informações com a polícia de Santa Catarina. Nóbrega afirmou que ainda estão sendo feitas diligências para apurar as mortes, mas que não descarta a ligação entre os casos.

— Ainda estamos apurando os casos e mais detalhes não podem ser dados neste momento para não atrapalhar as investigações — disse o delegado.

A reportagem tentou contato com o delegado responsável pelas investigações em Santa Catarina, mas não obteve retorno até a publicação da matéria. 

Leia mais:

Panfletos "apocalíticos" serão investigados em Orleans, no Sul de SC

Imagem curiosa em Blumenau oculta um drama com a chegada do frio

Uma semana após ataque em creche de SC, assassino tem alta e é levado para presídio

Colunistas