nsc
    dc

    Mundo

    Navio bloqueado no Canal de Suez pode ser liberado no início da próxima semana

    Desde quarta-feira, a SCA tenta liberar o navio de mais de 220.000 toneladas e com um tamanho equivalente a quatro campos de futebol

    27/03/2021 - 13h30

    Compartilhe

    Por AFP
    O cargueiro está preso no sul do canal, a alguns quilômetros da cidade de Suez.
    O cargueiro está preso no sul do canal, a alguns quilômetros da cidade de Suez.
    (Foto: )

    O porta-contêineres que bloqueia o Canal de Suez pode ser retirado no início da próxima semana, afirmou a empresa envolvida na missão para liberar a via estratégica que liga o Mar Vermelho ao Mediterrâneo, onde 200 navios aguardam para fazer a travessia.

    Muito mais otimista, a empresa proprietária do cargueiro "Ever Given" anunciou que esperava a operação de desencalhe para este sábado à noite, embora outras fontes tenham citado "dias ou semanas" para a retomada do tráfego no canal, por onde passa 10% do comércio marítimo internacional.

    > Navio encalhado no Canal de Suez impacta economia de SC e o seu bolso

    Apesar de o incidente ter sido inicialmente atribuído aos fortes ventos e a uma tempestade de areia, Osama Rabie, presidente da Autoridade do Canal de Suez (SCA), afirmou que "os fatores meteorológicos não são as razões principais para o encalhe do navio" e citou outros possíveis "erros técnicos ou humanos".

    Desde quarta-feira, a SCA tenta liberar o navio de mais de 220.000 toneladas e com um tamanho equivalente a quatro campos de futebol. O cargueiro está preso no sul do canal, a alguns quilômetros da cidade de Suez.

    "Com os barcos que teremos no local, a terra que já conseguimos dragar e a maré alta, esperamos que seja suficiente para desencalhar o navio no início da próxima semana", afirmou Peter Berdowski, diretor executivo da Royal Boskalis, a matriz da Smit Salvage, a empresa holandesa contratada para ajudar na operação. 

    > Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

    Se isto não for suficiente, será necessário retirar os contêineres para reduzir o peso do cargueiro, advertiu Berdowski, uma solução que levaria muito mais tempo. 

    A empresa proprietária do porta-contêineres demonstrou mais confiança.

    "Estamos eliminando os sedimentos com ferramentas de dragagem adicionais", afirmou Yukito Higaki, presidente da empresa japonesa Shoei Kisen, proprietária do navi

    Higaki disse que aguardava o desencalhe do "Ever Given" na madrugada de sábado para domingo.

    A empresa contratada para a operação de liberação do navio expressou mais prudência até o momento e chegou a citar "dias ou até semanas" para resolver o problema.

    Uma operação da SCA na sexta-feira, com a ajuda rebocadores, "não teve sucesso", informou a Bernhard Schulte Shipmanagement (BSM), empresa com sede em Singapura e responsável pela gestão técnica do navio. 

    Mais de 200 navios esperando

    Segundo a revista especializada Lloyd's List, mais de 200 navios estavam bloqueados na sexta-feira nos dois extremos e na zona de espera, localizado no centro do canal, o que gera importantes atrasos na entrega de petróleo e outros produtos.

    A publicação calcula que o porta-contêineres está bloqueando o equivalente a 9,6 bilhões de dólares de carga por dia.

    A gigante do transporte marítimo Maersk e a alemã Hapag-Lloyd informaram na quinta-feira que examinavam a possibilidade de desviar seus navios e passar pelo Cabo da Boa Esperança, um desvio de 9.000 quilômetros e pelo menos sete dias adicionais de viagem ao redor do continente africano.

    Uma maré alta esperada para domingo à tarde pode "ser de grande ajuda" para as equipes técnicas que tentam liberar o navio, afirmou à AFP Plamen Natzkoff, especialista da VesselsValue.

    "Se não conseguirem liberar o navio, a próxima maré alta não acontecerá antes de 15 dias e isto pode ser problemático", completou. 

    "O 'Ever Given' não está apenas preso na areia da superfície, também está retido dentro da margem", disse Natzkoff. 

    Quase 19.000 navios utilizaram o canal em 2020, segundo a SCA, o equivalente à média de 51,5 por dia. 

    Um relatório da Allianz Global Corporate & Specialty sobre segurança marítima aponta que o "Canal de Suez apresenta um excelente balanço de segurança em seu conjunto, e os incidentes de navegação são extremamente raros, com 75 incidentes na última década".

    Leia também

    > Irmãos de Joinville morrem por Covid-19 no mesmo dia

    > Suspeita de prostituir a filha de 8 anos, mulher é presa em SC

    > Saque do Pis/Pasep 2020/2021 pode ser realizado até 30 de junho

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas