nsc
nsc

Agro de Valor

Cidasc e Icasa trabalham para manter a qualidade dos produtos agropecuários de Santa Catarina

Instituto e Companhia voltaram a atender presencialmente, mediante agendamento prévio

03/06/2020 - 11h11 - Atualizada em: 29/07/2021 - 12h29

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
CIDASC
(Foto: )

Santa Catarina é reconhecida internacionalmente como um grande produtor de alimentos. Este reconhecimento se estende à qualidade destes alimentos e, principalmente, à segurança aplicada a todos os processos de produção.

> A força do agro: projetos de investimentos agroindustriais somam mais de R$ 5,5 bilhões em SC

Para garantir que os impactos do novo coronavírus não comprometam o agronegócio - atividade que responde por aproximadamente 30% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado -, o Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (ICASA) e a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) fizeram algumas adaptações nas suas atividades, garantindo a sua manutenção.

Diferentemente do que as restrições impostas contra a Covid-19 impuseram a muitos setores, na Cidasc alguns procedimentos precisaram ser intensificados. A Companhia implantou, por exemplo, ações técnicas e administrativas que fortaleceram o serviço de defesa agropecuária, tudo isso para combater a clandestinidade e fraudes de produtos de origem animal, além de fiscalizar sementes e agrotóxicos em estabelecimentos neste período de restrições.

​> Startup de SC desenvolve máquina para produzir bioplástico a partir do milho

De acordo com a presidente da Cidasc, Luciane de Cássia Surdi, toda esta situação também serviu de aprendizado para Companhia.

— Diante do cenário atual, a Cidasc se mobilizou e se reinventou para tornar o trabalho remoto e os atendimentos presenciais, contando com a colaboração de todo o quadro funcional, uma realidade como medida protetiva contra a transmissão do Covid-19. Vale lembrar que, durante esse momento de isolamento, o produtor rural não ficou sem atendimento, agendamos os horários para melhor atendê-lo, sem aglomeração, tomando os devidos cuidados com a saúde dos empregados e do produtor, ampliando os cuidados na sanitização dos espaços — conta.

Ainda de acordo com a presidente, foram disponibilizados cursos online de inspeção de produtos de origem animal para médicos veterinários e o pré-serviço online dos novos médicos veterinários.

— Graças a essa tecnologia, hoje já estão todos inseridos nas atividades técnicas da Companhia. Após adaptação ao sistema novo de reuniões via internet e pequenas adequações na rotina da comissão, a Câmara de Reconsideração Técnica (CRT), da Defesa Sanitária Vegetal, zerou a fila de processos administrativos. Assim, hoje não existe nenhum processo aguardando início da tramitação — afirma Surdi .

Lucciane considera que o engajamento e a dedicação de toda a equipe foi essencial para o sucesso da continuação das atividades, tanto de campo, como as administrativas.

— Esse foi o pilar que sustentou nossa eficiência neste momento de crise — finalizou.

Agendamento para atendimento presencial

Administrativamente, a Cidasc também segue atendendo, mas este serviço exige que a pessoa marque um horário previamente. A recomendação é que a pessoa venha sozinha, para que não haja aglomeração no local de atendimento ou na frente da unidade.

A mesma medida foi adotada pelo ICASA desde o final do mês passado. Inicialmente, para que não houvesse prejuízo aos produtores e ao setor agropecuário, o Instituto passou a atender a distância, em cumprimento ao Decreto nº 515 do Governo do Estado de Santa Catarina. Agora o atendimento presencial foi retomado, lembrando, mediante agendamento prévio.

​> Aplicativo da BRF permite controlar até peso dos frangos

Criado em 2006, o Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária apoia a defesa sanitária agropecuária junto a órgãos e entidades públicas e privadas, promovendo a ampliação das atividades de Estado, para valorizar a produção animal, garantir a saúde pública e a preservação do meio ambiente. Entre as atribuições do Instituto estão processos que exigem o relacionamento com o produtor. Serviços como atualização do cadastro; educação sanitária; inventário de animais; entre outros.

O ICASA ressalta que todos estes procedimentos preventivos são necessários no combate aos impactos do novo Coronavírus e, por isso, pede a compreensão de todos.

​Saiba mais sobre o setor que movimenta a economia do Estado.

Leia também

Quem é o vendedor catarinense que se tornou um dos maiores empresários do país

Agro de SC teve receita recorde em 2020, mas poderia ter ganho maior

​Estiagem em SC: “Governos precisam entender os riscos para reduzir as perdas”, diz pesquisador dos EUA

Colunistas