nsc
santa

Pandemia

Pazuello cita Blumenau durante depoimento na CPI da Covid

Fala ocorreu após pergunta do senador Renan Calheiros (MDB-AL) sobre restrições de circulação em nível nacional

19/05/2021 - 10h23 - Atualizada em: 19/05/2021 - 14h42

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner
Ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.
Ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.
(Foto: )

O ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, citou Blumenau durante o depoimento na CPI da Covid nesta quarta-feira (19). Em resposta a uma pergunta sobre restrições de circulação em nível nacional, o general comparou a terceira maior cidade de Santa Catarina a municípios “do Amazonas, ou do Amapá”, e disse que as realidades entre cidade do Sul e do Norte do país são distintas.

> Receba notícias de Santa Catarina direto pelo WhatsApp

A pergunta foi feita pelo relator da CPI, o senador Renan Calheiros (MDB-AL). O questionamento era se o governo federal não deveria ter estabelecido critérios nacionais para orientar gestores locais quanto às medidas de circulação de pessoas. Calheiros indagou Pazuello se esse norte do Ministério da Saúde não seria “recomendável” no momento de aceleração da pandemia no Brasil.

— Nós estamos falando de um país continental... Não estamos falando de um estado ou município como Blumenau, um município do Sul, comparado a uma cidade do Amazonas ou do Amapá. É completamente distinto, em que medidas são diferenciadas de um lado e do outro — disse Pazuello no depoimento.

> Ao vivo: Acompanhe o depoimento de Pazuello na CPI da Covid

— O que seria lógico: fazer uma análise dessas medidas, propor a elas o grau e deixar os gestores locais fazerem as suas próprias considerações. Cabia a nós, volto a colocar, estar em contato direto com secretários de estado, prefeitos, governadores. O tempo todo. E a partir dali tirando a temperatura, compreendendo o que estava acontecendo — finalizou.

O Brasil, vale lembrar, em nenhum momento adotou restrições em nível nacional. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), chegou a rechaçar decretos editados por prefeitos e governadores, e chegou a tentar derrubar medidas locais adotadas por gestores públicos para tentar frear o avanço da Covid-19. Em março, por exemplo, Bolsonaro entrou com uma ação contra os governadores do Distrito Federal, Bahia e Rio Grande do Sul.

Acompanhe ao vivo o depoimento de Pazuello

Colunistas