nsc
dc

Investigação

PF reabre inquérito sobre facada em Bolsonaro para analisar celular de advogado de Adélio

Delegado vai analisar os dados bancários e o conteúdo do celular apreendido com o defensor

25/11/2021 - 21h00 - Atualizada em: 25/11/2021 - 21h12

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Adélio Bispo esfaqueou Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018 em Minas Gerais
Adélio Bispo esfaqueou Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018, em Juiz de Fora (MG), e foi preso no mesmo dia
(Foto: )

A Polícia Federal (PF) reabriu a investigação que mira Adélio Bispo, autor da facada no então candidato Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral de 2018. A retomada vem após o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) autorizar a investida contra Zanone Manuel de Oliveira Júnior, um dos advogados de Bispo e alvo de busca e apreensão em dezembro de 2018.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

O delegado Rodrigo Morais Fernandes vai analisar os dados bancários e o conteúdo do celular apreendido com o defensor para avançar na última lacuna do caso, sobre se houve mandante para o ataque contra Bolsonaro. A PF espera, a partir da análise dos dados, ter respostas definitivas sobre porque ele assumiu o caso uma vez que Bispo não tinha condições financeiras para manter pagá-lo. ​

O objetivo é apurar se Oliveira Júnior recebeu de terceiros para assumir a defesa ou seu interesse era apenas midiático, por se tratar de um processo que daria visibilidade ao advogado. 

> Justiça absolve autor de facada em Bolsonaro e determina internação

A investigação sobre a atuação do advogado estava parada desde março de 2019, quando o TRF-1 acatou liminarmente um pedido da OAB cujo argumento era a suposta violação do sigilo funcional da defesa. No último dia 3 de novembro, a 2ª seção do tribunal suspendeu a liminar por 3 votos a 1.

*Por Camila Mattoso.

Leia mais

Apuração da PF sobre facada de Adélio em Bolsonaro descarta mandante após depoimento em SC

Inquérito da facada envolveu ''sósias'' de Adélio e fake news

Bolsonaro diz que por ele não haveria Carnaval em 2022

Bolsonaro tem rejeição de 55,8% e Lula de 47,4%, aponta pesquisa

Colunistas