nsc
dc

Violência

Após cirurgias e transfusão, policial baleado em assalto a banco em Criciúma segue em estado grave

PM foi atingido no abdômen, passou por três cirurgias e precisou de doações de sangue

01/12/2020 - 18h48 - Atualizada em: 03/12/2020 - 15h36

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Fernanda
Por Fernanda Mueller
Jeferson Luiz Esmeraldino
Jeferson Luiz Esmeraldino
(Foto: )

O policial militar que foi baleado durante uma troca de tiros com os assaltantes de banco em Criciúma na madrugada desta terça-feira (1º) segue internado na Unidade Intensiva de Saúde (UTI) do Hospital São João Batista, em estado grave de saúde. Ele recebeu doações de sangue após as cirurgias. O material doado está sendo utilizado para recompor o estoque do Hemosc. 

> Poça de sangue é encontrada em carro utilizado por criminosos e pode ajudar na identificação de quadrilha

> Novo cangaço: o que é o termo usado para ação de quadrilhas em SC

Jeferson Luiz Esmeraldino, 32 anos, foi atingido por um tiro de fuzil no abdômen durante o primeiro deslocamento da quadrilha que atacou a tiros a sede do 9º Batalhão da Polícia Militar de Criciúma durante a ação. Ele precisou passar por três cirurgias e segue em obersavação, acompanhado por militares.

Conforme o coordenador do Hemosc de Criciúma, Rafael Luiz da Silva, além do tipo sanguíneo B+, as maiores necessidades do hospital agora são os tipos 0+, 0- e grupo A, por isso todas as doações são bem-vindas.

— Estamos conseguindo atender a demanda deste paciente, porém esta mobilização de toda população já está ajudando não só a repor o sangue utilizado por ele mas também a reforçar nossos estoques — afirmou.

Tiros foram disparados seguidas vezes pela quadrilha
Tiros foram disparados seguidas vezes pela quadrilha
(Foto: )

Natural de Tubarão, o PM atua na 3ª Companhia na área do 9º BPM, entrou para a corporação em 2016 e foi homenageado pelo governador de SC, Carlos Moisés da Silva, que se solidarizou à família de Esmeraldino e disse que ele, assim como seus colegas "são nossos heróis anônimos". 

"Foi como as maiores ações que acontecem no país", diz delegado sobre assalto a banco em SC

O maior assalto a banco da história de SC

Criciúma viveu uma madrugada de terror nesta terça-feira (1º). O Centro da cidade foi cercado por assaltantes de bancos que explodiram caixas em uma agência do Banco do Brasil e usaram reféns como escudo, além de provocarem incêndios, bloquearem o túnel do Morro do Formigão em Tubarão e atiraram várias vezes, ferindo um policial militar gravemente.

Veículos utilizados pelos criminosos eram blindados e de alto padrão
Veículos utilizados pelos criminosos eram blindados e de alto padrão
(Foto: )

A ação durou cerca de uma hora e 40 minutos e contou com a participação de mais de 30 assaltantes, além de 10 veículos de alto padrão, nove deles blindados. O único carro não blindado utilizado pela quadrilha foi encontrado com uma poça de sangue dentro, o que pode ajudar a polícia a chegar até os criminosos. 

Durante o assalto, um policial militar e um vigilante ficaram feridos. O soldado Esmeraldino foi atingido no abdômen ao se deparar com o comboio que havia atacado a sede do batalhão. A viatura que ele estava seguia até a agência bancária para averiguar o disparo de alarme, quando soube do ataque ao quartel. Ao retornar, houve o confronto.

Ainda durante a manhã, o esquadrão antibombas desarmou supostos explosivos amarrados em postes perto da agência. Segundo a PM, os materais foram removidos e submetidos a uma explosão controlada no fim da manhã em uma área segura, em um bairro de Criciúma.

> Criciúma: uma cidade em estado de choque após noite de terror com assalto a banco

Os suspeitos abandonaram pelo menos um malote de dinheiro com cerca de R$ 300 mil. Eles teriam fugido em vários carros em direção ao Sul do Estado. 

Quatro pessoas foram levadas para a delegacia por estarem tentando furtar dinheiro espalhado na rua. Elas não teriam participação no ataque. Com elas foram localizados R$ 810 mil, segundo a Polícia Militar.

Leia também

> Assalto a banco em Santa Catarina repercute na imprensa internacional

Assalto a banco em Criciúma lembra roubo no Aeroporto de Blumenau e repete onda de crimes de 2019

"Não sairá tão fácil da cabeça", diz prefeito de Criciúma após assalto a banco

Colunistas