O que você pensa sobre problemas bucais? Se acredita que é raridade, está enganado. Na verdade, cerca de 44% da população mundial sofre de alguma doença na região. Patologias como cárie, gengivite, periodontite e halitose assolam milhões de pessoas e podem culminar em uma consequência altamente desagradável: a perda de um ou mais dentes. Além do desconforto físico e o impacto estético, a perda dentária também prejudica a alimentação, a comunicação, a qualidade do sono e pode interferir até mesmo na respiração.

Continua depois da publicidade

Em busca de solucionar o contratempo de forma ágil, inúmeras pessoas recorrem à prótese móvel, popularmente conhecida como dentadura. Mas será que essa é a opção mais assertiva? O uso desses itens acarreta em algum risco para a saúde do paciente?

— O uso prolongado acaba por prejudicar ainda mais a condição do paciente, pois a prótese acaba forçando a machucando a gengiva, podendo evoluir para um câncer de boca ou acentuar ainda mais a perda óssea das maxilas, causando o que é conhecido como “dentadura frouxa” — alerta o professor Vanderlim Camargo, especialista em implantes dentários.

— Não é a dentadura que fica frouxa, mas a maxila que se desgasta. Chega um ponto em que a perda óssea é tão severa que não é mais possível usar a dentadura — complementa o especialista.

Próteses móveis são tratamento paliativo

Embora preencham o espaço faltante e até causem certo alívio de ordem estética, as dentaduras não resolvem a perda dentária de forma completa, nem acaba com as consequências geradas pela ausência de dentes. A prótese móvel não devolve a qualidade da mastigação, ou seja, não impede distúrbios digestivos. Além disso, é pouco resistente e pode sofrer fraturas com mais facilidade, dependendo do alimento ingerido.

Continua depois da publicidade

Esse tipo de solução também pode levar ao desgaste dos dentes sadios e naturais, aumentando – e não resolvendo – o problema. As dentaduras também sofrem mudanças de forma e cor, desgastam com o tempo e ainda podem provocar atrofia nos ossos da mandíbula por falta de estímulos, no caso de pacientes com perda total dos dentes.

Implantes dentários: técnicas inovadoras e solução definitiva

Muitas das pessoas que enfrentam a perda de dentes recorrem à prótese móvel por receio de passar por um implante dentário definitivo. O procedimento, que para alguns pode ser sinônimo de traumas e dores, evoluiu consideravelmente nas últimas décadas, como explica o professor Vanderlim.

— A tecnologia de implantes evoluiu muito, e hoje, é possível tratar com segurança, previsibilidade e em pouco tempo, desde casos mais simples até os mais complexos, onde o grau de atrofia óssea na maxila é severo. Nestes casos, o uso de implantes zigomáticos é uma excelente alternativa, que traz resultados fantásticos para o paciente — detalha Vanderlim.

> Evento que aborda técnica de cirurgião catarinense traz europeus para SC

Uma das grandes evoluções nos implantes dentários são as chamadas “Cirurgias Guiadas”, que diminuem o tempo necessário para recuperação e que possibilitam ao paciente contar com os dentes fixos em poucos dias. O procedimento pode ser feito com uma microcirurgia e anestesia local, realizados no próprio consultório.

Continua depois da publicidade

— Mesmo pacientes com condições específicas como diabéticos, cardíacos, com idade avançada, que tomam anticoagulantes ou que tem fobia de cirurgias, podem ter acesso a essa solução, por meio dos implantes realizados com cirurgia guiada, que evita cortes, pontes e pode ser feita inclusive, no próprio consultório — reforça o professor.

A cirurgia guiada é feita em quatro passos:

  1. É feita uma tomografia tridimensional da arcada dentária do paciente.;
  2. O dentista planeja virtualmente a cirurgia, por meio de um software avançado;
  3. É confeccionada uma guia cirúrgica, com orifícios marcadores nos locais exatos onde os implantes serão fixados;
  4. Em até 1 hora, os implantes são fixados. Poucos dias depois, a prótese final é instalada;

A hora de trocar a prótese móvel pelo implante

Para quem tem dúvidas sobre o momento certo para trocar a dentadura por um implante dentário permanente, só há uma resposta: a melhor hora é o mais breve possível. Com o tempo, a prótese móvel tende a agravar e provocar outros distúrbios bucais, que podem ser mais complicados de tratar. Por isso, o ideal é não aguardar o surgimento de novos problemas.

Professor Vanderlim Camargo - CIIPO - NSC
Doutor Vanderlim é referência internacional em implantes dentários. (Foto: Divulgação)

Pensando nos mais de 18 milhões de brasileiros que sofrem com o edentulismo, isto é, com a falta de um ou mais dentes, o professor Vanderlim Camargo, responsável técnico pela Rede CIIPO, desenvolveu uma técnica de implantes dentários que leva o seu nome. Hoje, com quase 30 anos de experiência e mais de 28 mil procedimentos realizados, ele é referência mundial no segmento e possui pacientes de diversos países, como Estados Unidos, Espanha, Inglaterra, Itália, Portugal, Argentina, África do Sul e Japão.

Continua depois da publicidade

Os diferenciais da técnica se destacam em comparação à prótese móvel ou as tradicionais técnicas de implante dentário. A Técnica Vanderlim oferece um tratamento mais rápido, menos traumático e com tempo reduzido de recuperação. Isso é possível devido a um sistema exclusivo de implante transnasal, desenvolvido como uma alternativa à colocação do duplo zigoma, quando há necessidade de maior ancoragem dos implantes em determinados casos. Criar uma opção tecnológica como essa não é simples. É preciso anos de estudo e experiência na área.

— A técnica foi desenvolvida com base em muito estudo, e acompanhamento de uma casuística que reuni ao longo dos meus 28 anos de experiência e mais de 28 mil implantes instalados. É uma técnica recente e inédita, que já foi objeto de publicação de artigos científicos, capítulo de livro e tema de inúmeras palestras em que fui convidado — comenta o professor Vanderlim.

Além da técnica autoral, Vanderlim Camargo também é referência internacional em implantes All-on-4 e zigomáticos, tratamento criado na Europa em 1993 para dispensar o uso de enxertos ósseos de forma mais econômica e menos invasiva.

Essa técnica permite que o paciente passe por apenas uma cirurgia e quatro implantes, podendo sair da clínica já com os dentes fixos imediatos, entre um a três dias – tempo bem inferior ao levado nas técnicas tradicionais, que podem levar anos.

Continua depois da publicidade

Rede CIIPO

A Rede CIIPO, com mais de 27 anos de história, oferece tratamentos diferenciados com alto valor agregado e é centro de referência em implantes dentários e tratamentos estéticos. Entre seus pilares fundamentais estão a tecnologia, com equipamentos de última geração e a capacitação, com profissionais especialistas e professores pós-graduados que dominam as inúmeras técnicas existentes.

A sede da Rede CIIPO está localizada no Beiramar Shopping, em Florianópolis, e ainda conta com uma filial em São José.

Saiba mais sobre a CIIPO clicando aqui.

Leia também

5 dicas para cuidar da saúde mental em 2022

Prefeitura de Palhoça disponibiliza óculos de grau a moradores

Destaques do NSC Total