O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina (Sinpol-SC), Paulo Cesar Fernandes de Abreu, renunciou ao cargo nesta quinta-feira (20) após ser preso e apontado como suspeito de participar de um esquema interestadual de tráfico de drogas. A informação foi divulgada por meio de uma nota oficial da entidade.

Continua depois da publicidade

Receba notícias do DC via Telegram

No posicionamento público do Sinpol-SC, a diretoria executiva manifestou “surpresa diante dos fatos envolvendo questões particulares do Presidente da entidade”. 

A nota afirma que a renúncia de Paulo Abreu foi uma decisão do próprio presidente, “a fim de preservar a atividade sindical, tendo em vista que os fatos aventados são pessoais e desvinculados das atividades sindicais”. 

Policial de SC preso e investigado por tráfico de drogas presta depoimento; veja o que ele disse

Continua depois da publicidade

O sindicato também reforçou que não há qualquer conexão entre a investigação de tráfico de drogas e a atividade sindical. 

Na tarde desta quinta-feira (20), os membros da diretoria se reuniram para decidir a posição do sindicato sobre a prisão do seu presidente.

Leia a nota do Sinpol-SC na íntegra:

“O Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Santa Catarian (Sinpol-SC), por meio de sua Diretoria Executiva, vem a público manifestar sua surpresa diante dos fatos noticiados no dia de hoje (20), envolvendo questões particulares do Presidente da entidade.

O atual Presidente, a fim de preservar a atividade sindical e a imagem do SINPOL-SC, tendo em vista que os fatos aventados são pessoais e desvinculados das atividades sindicais, apresentou a sua renúncia.

Continua depois da publicidade

A Diretoria Executiva, respeitando os aspectos legais e estatutários, reunir-se-á na próxima semana para deliberar sobre a sucessão do cargo em vacância.

Por fim, o Sinpol-SC ressalta que não há qualquer conexão entre os fatos noticiados e a atividade sindical, reafirma o seu compromisso ético e legal, permanecendo em defesa e na luta dos interesses da categoria e da sociedade. Desta forma, as atividades e agendas continuam normais, buscando atender da melhor forma os nossos associados.

Florianópolis, 20 de outubro de 2022.

Diretoria Executiva”

Posicionamento da defesa

O advogado de Paulo Cesar Fernandes de Abreu informou ao Diário Catarinense que ainda não obteve acesso aos autos e que a defesa irá se manifestar nos processos.

O defensor Rodrigo Martins Elias também informou que não irá conceder uma nota sobre o caso em respeito ao cliente e à família.

Continua depois da publicidade

Leia também 

SC deu só um voto para acelerar projeto que torna pedofilia crime hediondo

Pastor suspeito de estuprar crianças em SC foi preso para ‘evitar novas vítimas’, diz delegado

Lula ou Bolsonaro: quem desmatou mais a Amazônia?

Destaques do NSC Total