nsc
hora_de_sc

Prisão

Preso por estupro em Florianópolis estava em 'saidinha' de prisão pelo mesmo crime

Homem cumpre pena por estupro e roubo, também cometidos em Florianópolis, mas em 2015

02/05/2022 - 15h05

Compartilhe

Por Paulo Batistella
Suspeito estava preso em Lages quando recebeu saída temporária
Suspeito estava preso em Lages quando recebeu saída temporária
(Foto: )

Um homem de 28 anos foi preso em Florianópolis suspeito de ter estuprado e assaltado uma mulher no bairro Santa Mônia. Na ocasião em que foi detido pela Polícia Civil, neste fim de semana, ele já era considerado foragido por não ter retornado ao sistema prisional após ter recebido a chamada "saidinha temporária" pela Justiça.

Ele cumpria pena justamente por estupro e roubo cometidos sete anos atrás.

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Ainda segundo a Polícia Civil, ele estava detido no Presídio Regional de Lages até então, quando recebeu a “saidinha”. Sem voltar em uma semana, ele passou a ter um mandado de prisão contra si por evasão em 13 de abril.

A Polícia Civil não revelou o nome do suspeito. Sem essa informação, a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa (SAP) não confirma, também em cumprimento à legislação, informações da condição dele no sistema prisional em Santa Catarina — como, por exemplo, quantas saídas ele já teve concedida desde que foi preso.

O suspeito é natural do Rio Grande do Sul e tem ao menos uma familiar que é moradora de Florianópolis.

O serviço de inteligência da polícia cruzou informações sobre o local do estupro e as características do suspeito descritas pela própria vítima para poder identificá-lo. Após ser detido, sob pedido de prisão preventiva da Polícia Civil, ele foi entregue ao sistema prisional em Florianópolis.

A saída temporária está na Lei de Execução Penal e é concedida aos presos do regime semiaberto que atendam ainda a uma série de critérios, como bom comportamento no sistema prisional e cumprimento já de parte da pena. 

O benefício é dado até cinco vezes ao ano, com saídas de até sete dias, para que o detento possa visitar a família, por exemplo.

Neste ano, 6.468 presos em Santa Catarina fizeram uso do benefício, segundo a SAP. Do total, 189 (2,92%) não retornaram. Já no ano passado inteiro, o índice de evasão ficou em 2,67% — ou seja, 390 dos 14.592 detentos que ganharam saída temporária não retornaram aos presídios no prazo determinado.

Leia mais

Vítimas de violência doméstica em SC podem pedir medida protetiva pela internet

Argentino suspeito de estuprar filha de 4 meses até a morte é preso em SC

Um ano após chacina em creche de Saudades, escolas de SC seguem sem vigilantes

Colunistas