nsc
dc

Coronavírus

Professor da UFSC usa TikTok para tirar dúvidas sobre vacina contra Covid-19

Iniciativa para combater a desinformação sobre coronavírus faz parte do projeto da ONU com cientistas do mundo todo

08/12/2020 - 10h56 - Atualizada em: 08/12/2020 - 17h52

Compartilhe

Fernanda
Por Fernanda Mueller
André Báfica está desenvolvendo um imunizante que tem como base a BCG, uma vacina centenária contra a tuberculose
André Báfica está desenvolvendo um imunizante que tem como base a BCG, uma vacina centenária contra a tuberculose
(Foto: )

O professor de imunologia da UFSC, André Báfica decidiu se aventurar no TikTok, rede social de vídeos que se popularizou pelo mundo durante a pandemia, para trazer informações sobre a vacina que ele desenvolve contra Covid-19. A ideia de utilizar a plataforma faz parte de um projeto da Organização das Nações Unidas (ONU) para tornar as informações sobre ciência mais acessíveis e combater fake news.

> Britânica de 90 anos é a primeira ocidental vacinada contra o coronavírus 

Chamado Halo, o projeto da ONU conta com cientistas de países do mundo todo que, de forma voluntária, fazem vídeos didáticos mostrando o dia a dia no laboratório e tirando dúvidas sobre as vacinas que desenvolvem. O objetivo é atingir principalmente o público mais jovem, por isso a escolha do TikTok, já que cerca de 40% dos usuários da rede social tem entre 16 e 24 anos.

> SC espera plano do governo Bolsonaro para vacinação contra o coronavírus, mas cidades negociam compra de SP

No Brasil, seis pesquisadores participam do projeto, incluindo o Diretor Regional Sul da Sociedade Brasileira de Imunologia, André Báfica. Ao lado de sua equipe na Universidade Federal de Santa Catarina, o pesquisador está desenvolvendo um imunizante que tem como base a BCG, uma vacina centenária contra a tuberculose. 

André conta que quando aceitou o convite para fazer parte do projeto, teve que deixar a timidez de lado para um bem maior: 

— Eu estava um pouco receoso quando me convidaram para participar, porque sou tímido em frente à câmera, mas acabei gostando da ideia porque vi que posso educar cientificamente as pessoas de uma maneira não autoritária, e passar informação confiável. Sair dos muros da universidade para a casa das pessoas.

 Quem assiste os vídeos no perfil do TikTok do professor, percebe que ele conseguiu deixar a timidez de lado. Utilizando emojis, músicas e animações, André e sua equipe mostram os processos de desenvolvimento da vacina e desmistificam informações incorretas. Com uma linguagem simples e divertida, os pesquisadores conseguiram chamar a atenção das pessoas. Alguns vídeos já têm mais de 70 mil visualizações. 

Para ter as perguntas respondidas, basta mandar uma mensagem no perfil dele na rede social

Como a vacina BCG é usada contra Covid-19 

O imunizante desenvolvido pela equipe do André na UFSC utiliza como vetor a bactéria chamada BCG (Bacilo Calmette Guérin), uma vacina contra tuberculose criada em 1921. Para que ela seja usada contra Covid-19, os pesquisadores colocam proteínas do coronavírus dentro da BCG e avaliam se o sistema imunológico é capaz de reconhecê-las e criar anticorpos. 

Neste vídeo, André explica como a equipe construiu a vacina:

Os estudos ainda estão na fase inicial, chamada pré-clínica. Segundo o professor, em breve eles começarão a aplicar a vacina em animais, mas ainda há um caminho longo até chegar aos testes em humanos.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

Leia também

Impedidos de abrir, parques aquáticos pedem mudanças nas regras de funcionamento do setor

SC se aproxima de 400 mil infectados por coronavírus e é o estado com mais casos no Sul do país

Coronavírus em Florianópolis: Gean acredita na "arte do convencimento" para verão seguro

Colunistas