Quatro pessoas foram presas nesta terça-feira (14) suspeitas de integrarem uma organização criminosa especializada em aplicar o golpe do bilhete premiado. Os suspeitos foram abordados em Biguaçu, após terem sido acompanhados pela polícia desde Florianópolis.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

Equipes que investigavam o crime detectaram dois carros, associados a crimes de estelionato, entrando em Florianópolis nesta terça. Os veículos foram acompanhados pela polícia enquanto circulavam pela Capital, principalmente próximo a bancos.

Os carros foram abordados só em Biguaçu. Os quatro suspeitos foram identificados e, com eles, foram encontrados diversos bilhetes de loteria, incluindo um supostamente premiado no sorteio de 22 de março.

Todos os detidos já tinham registros criminais por crimes como o próprio golpe do bilhete premiado. Eles foram presos em flagrante e levados à Central de Plantão Policial. A polícia segue em diligências para descobrir se eles estão envolvidos em outros crimes semelhantes na região.

Continua depois da publicidade

A pena prevista para o crime de associação criminosa é de reclusão de um a três anos. Já para estelionato comum a pena é de um a cinco anos de prisão.

Leia também

“Prejuízo grande”: Procon alerta contra golpe que promete devolução de dinheiro

Quadrilha que aplicava golpe do bilhete premiado em idosos é presa em Florianópolis

Falsa vidente é presa por golpe em viúva de colecionador de arte no RJ

Destaques do NSC Total