nsc
santa

Segurança pública

Quem são as 4 pessoas assassinadas no Vale do Itajaí em fim de semana violento

Nenhum dos crimes tem relação entre si e polícia civil investiga os casos

04/10/2021 - 17h02 - Atualizada em: 04/10/2021 - 18h59

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie
Crimes ocorreram em cidades diferentes da região
Crimes ocorreram em cidades diferentes da região
(Foto: )

O Vale do Itajaí teve um final de semana violento. Entre a noite de sexta-feira (1º) e a madrugada de domingo (3), ao menos quatro assassinatos ocorreram na região. Os crimes foram registrados nas cidades de Camboriú, Presidente Getúlio, Apiúna e Brusque. Nenhum dos homicídios tem relação entre si e a Polícia Civil apura os casos. 

> Receba notícias do Vale do Itajaí por WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do Santa

O primeiro assassinato aconteceu na sexta (1º), por volta das 21h, em Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina. Gisele Pereira, de 32 anos, levou um tiro no peito, e o marido é apontado como o principal suspeito de ter feito o disparo. Segundo a Polícia Militar (PM), o feminicídio ocorreu após uma discussão do casal. 

O agressor ainda levou a esposa ferida ao hospital para receber atendimento médico e, na sequência, fugiu. Nesta segunda (4), a advogada do homem informou que ele vai se apresentar à polícia, mas até as 17h isso não tinha acontecido.

Ainda na sexta-feira, pouco depois das 22h, em Brusque, no Médio Vale, Jeferson Souza Nascimento, de 24 anos, morreu esfaqueado por um colega de trabalho quando saía do serviço. Ele foi golpeado por um rapaz de 20 anos enquanto outro homem de 22 o segurava para facilitar o crime.

O autor das facadas fugiu e até a tarde desta segunda ainda não tinha sido localizado, segundo a Polícia Civil. O responsável por segurar a vítima para que ocorresse a agressão foi preso em flagrante pela PM logo após o assassinato, mas acabou liberado na sequência.

Já no sábado (2), próximo às 17h40, os bombeiros de Presidente Getúlio, no Alto Vale, foram mobilizados para socorrer Adriano Martins, de 26 anos. Ele foi esfaqueado com um objeto ainda não identificado, chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu e morreu.

O suspeito do crime chegou a ser identificado, foi levado à delegacia, mas acabou solto porque o delegado de plantão “não viu elementos suficientes para o flagrante”. A Polícia Civil tem 30 dias para concluir o inquérito e decidir pelo indiciamento ou não do homem de 27 anos.

Na madrugada de domingo (3), era por volta de 1h30, quando Paulo Daller, de 50 anos, foi espancado até a morte em Apiúna, no Médio Vale do Itajaí. Antes de ser morto, o homem atirou no marido da prima e ela, para defender o companheiro, partiu para a agressão com chutes, socos e bater a cabeça de Paulo no chão. 

A mulher acabou presa em flagrante pela PM, mas foi liberada e vai responder pelo crime em liberdade. O marido dela, que levou dois tiros, está hospitalizado.

Leia também

> Relembre sucuri gigante já vista em Santa Catarina

> Rochas podem indicar vulcão em SC; entenda

> Tudo sobre o caso Suzane von Richthofen; veja os depoimentos

Colunistas