nsc
hora_de_sc

De outro mundo

Relembre os relatos de aparições e sinais de ETs em Santa Catarina

Entenda como foram os fenômenos atribuídos aos alienígenas que aconteceram em solo catarinense

02/01/2021 - 06h00

Compartilhe

Redação
Por Redação Hora
Agroglífos em Santa Catarina
Agroglífos em Santa Catarina
(Foto: )

Em solo catarinense, há quem afirme que os contatos com raças extraterrestres já aconteceram. Fenômenos como o Objeto Voador Não Identificado (Ovni) de Nova Trento e os desenhos nas plantações de milho em Ipuaçu são exemplos recentes atribuídos aos ETs em Santa Catarina. Para relembrarmos estes e outros casos, preparamos uma linha do tempo com os principais fatos em ordem cronológica.

Até porque, vale lembrar que no começo do mês de dezembro de 2020, precisamente no dia 8, o ex-general do governo de Israel, Haim Eshed, foi categórico ao afirmar que não estamos sozinhos no universo. Em entrevista ao diário Yediot Aharonot, Eshed foi além e disse que existe uma Federação Galáctica formada por humanos e extraterrestes.

“Há um acordo entre o governo dos EUA e os alienígenas. Eles assinaram um contrato conosco para fazer experimentos aqui.” Haim Eshed, ex-Chefe de Segurança do Programa Espacial de Israel

Já a cientista-chefe da Nasa, a agência espacial americana, prevê que haverá registros de seres de outros planetas até a metade da próxima década. No entanto, para Ellen Stofan, as primeiras descobertas devem envolver alguma espécie de plâncton ou de alga.

> Luzes desconhecidas são registradas por moradores no litoral de SC e RS

Agroglífos em plantações de trigo de Ipuaçu e região

O município de Ipuaçu registra, desde 2008, o surgimento de agroglifos, grandes desenhos com formas geométricas feitos em plantações. O primeiro caso aconteceu na pequena comunidade de Toldo Velho, onde círculos com 19 metros de diâmetro apareceram a uma distância de 25 metros de uma estrada.

2009: a figura tinha 44 metros de comprimento.

2010: círculos foram encontrados nas lavouras do município.

2011: vários círculos de 1,5m até 24m apareceram em plantações de trigo. Neste ano, houve o surgimento de um novo desenho: ele tinha o formato de fechadura.

• 2012: surgimento de um círculo central de 40 metros interligado por trinta círculos menores de aproximadamente 3 metros. No dia seguinte outro agroglifo surgiu, só que na Inglaterra.

• 2013: dois novos agroglifos são encontrados em locais diferentes.

• 2014: pela primeira vez, os agroglifos têm mais de 100 metros de diâmetro.

• 2015: as marcas misteriosas apareceram em uma propriedade da localidade de linha Vista Alegre e foram registradas por uma produtora de filmes de Florianópolis que estava na região para gravar um documentário sobre agroglifos.

• 2016: os desenhos apareceram mais uma vez, porém o dono da propriedade onde foram localizados afirma se tratar de uma brincadeira de colegas. Já o ufólogo Ademar José Gevaerd foi até o local para analisar o caso, pois as primeiras imagens revelaram a mesma perfeição simétrica dos outros registros.

• 2017: o município de Bom Jesus, que fica na mesma região de Ipuaçu, recebeu as marcas misteriosas, que têm mais de 20m de diâmetro.

• 2020: um círculo de aproximadamente 50 metros de diâmetro foi feito em uma plantação de trigo, a cerca de 500m de uma estrada de chão.

O surgimento dos agroglifos em Ipuaçu, independentemente do ano, é precedido por alguns fatos em comum: acontecem entre os meses de outubro e novembro, luzes estranhas aparecem no céu da região em dias anteriores ao fato e não há ocorrência de barulho durante a madrugada que antecede a manhã dos primeiros avistamentos.

Por causa das marcas misteriosas, Ipuaçu ficou conhecida como a capital nacional dos agroglifos.

Grupo estuda "triângulos vermelhos" no céu de SC. Entenda no vídeo:

Ovnis no litoral Norte de Santa Catarina

O município de Itapoá, no litoral Norte catarinense, possui mais de três mil relatos, nos últimos 20 anos, sobre avistamentos de objetos voadores não identificados.

O presidente do Grupo de Pesquisa Ufológica de Santa Catarina (GPUSC), Luiz Prestes Junior, que mora na região, destaca os casos mais famosos. Os que ocorrem na estrada Cornelsen, que liga Itapoá e Guaratuba, no Paraná.

Os eventos ocorreram em um trecho de aproximadamente 5km e envolveram luzes não identificadas, esferas de luz que seguiam os veículos e panes elétricas tanto nos automóveis quanto nos equipamentos eletrônicos dos passageiros.

Em alguns casos há relato de uma névoa que aparece sobre a estrada antes do surgimento das esferas, além do avistamento de seres humanoides e de ovnis sobrevoando a estrada.

> Grupo de Pesquisa Ufológica estuda relatos de óvnis em SC

Ovni de Nova Trento

O caso aconteceu no dia 5 de junho de 2019. Uma moradora do município de Nova Trento, na mesorregião da Grande Florianópolis, acionou a Polícia Militar do Vale do Rio Tijucas depois de ter visto um objeto não identificado a mais ou menos 2km de distância de sua residência, na Rodovia Deputado Gentil Batisti Archer.

Assustada, a moradora do bairro Morro da Onça relatou que o suposto disco voador tinha várias luzes. Os policiais, ao chegarem no local, não avistaram o objeto.

Ovni visto nos Campos do Quiriri, na região Norte de Santa Catarina

Os Campos do Quiriri, um conjunto de montanhas com cerca de 30 cumes, foram o local do avistamento de uma luz forte e amarelada que se destacava no horizonte. O fato inusitado aconteceu na Páscoa de 2018 e foi presenciado por mais de 20 pessoas que acampavam na região.

O designer Cristyan Axel Langer, que fez parte do grupo, contou que estavam reunidos às 20h quando os primeiros membros viram a luz. Em poucos instantes, todos olhavam fixamente para a mesma direção. O objeto, que estava parado, começou a se mover para o lado e desapareceu atrás da Pedra da Tartaruga.

A região tem alta quantidade de avistamentos. O Grupo de Pesquisa Ufológica de Santa Catarina afirma que o Norte e o Litoral Norte do Estado concentram uma grande quantidade de relatos.

> Pontos luminosos são vistos no céu de cidades catarinenses; entenda o fenômeno

Marcas misteriosas no corpo de um morador de Garuva após movimentação estranha em uma chácara

O caso mais recente que envolve o avistamento de luzes no céu aconteceu em Garuva, no Norte do Estado e está sob investigação do Grupo de Pesquisa Ufológica de Santa Catarina.

Em dezembro de 2019, o jovem Aguinaldo do Nascimento estava com um grupo de amigos em sua chácara quando notou uma movimentação estranha em torno dela. Os cachorros latiam e uivavam excessivamente.

Horas depois, o grupo foi dormir, mas Aguinaldo do Nascimento acordou no meio da madrugada com o corpo quente e muito suor. No entanto, a sensação não era de febre, mas de um calor descomunal.

Depois de ser medicado, Aguinaldo voltou a dormir. Na manhã seguinte, sua namorada notou uma marca diferente em um dos ombros do jovem: de tom avermelhado e semelhante a dedos, só que mais longos que os comuns.

Na manhã do mesmo dia, outro fenômeno aconteceu na chácara. O “cabelo de anjo”, parecido com uma teia de aranha, foi encontrado em cima de um dos automóveis. Segundo os ufólogos, é comum encontrar essa substância nos locais onde ocorrem a presença de objetos voadores não identificados.

Pesquisadores do Grupo de Pesquisa Ufológica de Santa Catarina relatam que não é a primeira vez de um caso como o de Aguinaldo. Outros ocorreram em Gaspar, no Vale do Itajaí, e Guaratuba, no litoral paranaense ― próximo à divisa com Santa Catarina.

> Maior raio do mundo em extensão começou em Santa Catarina, diz pesquisadora

O que dizem os especialistas?

O Grupo de Pesquisa Ufológica de Santa Catarina, que atua desde 2013, recebe, em média, 80 novos relatos a cada mês. A maioria vem da costa catarinense, principalmente da região de Guaratuba.

Segundo os relatos, as testemunhas costumam ver luzes triangulares que sobrevoam cidades entre Balneário Camboriú e Curitiba (PR), passando por Barra Velha, Itapoá, Joinville, Piçarras e Guaratuba (PR).

No ano passado, uma testemunha, que pediu para não ser identificada, notou a presença de um objeto voador não identificado triangular que estava sobrevoando o mar da Praia Brava, em Itajaí, ao anoitecer.

Luiz Prestes Junior, do GPU-SC, destaca que os ovnis avistados têm como característica, de modo geral, quatro pontos iluminados – um em cada extremidade e outro no centro.

As luzes seriam um tipo de propulsão, permitindo que a estrutura se desloque em alta velocidade. Seria a explicação para os aparecimentos e desaparecimentos que ocorrem rapidamente.

Em entrevista ao Diário Catarinense, Luiz Prestes Junior explica que os objetos recebem o nome de Triângulos Voadores e que aparecem entre às 21h e 1h. Quando surgem, equipamentos eletrônicos e de comunicação sofrem interferência ― o que justifica a dificuldade de produzir fotos e vídeos.

Os casos vêm sendo acompanhados desde 2014

O Grupo de Pesquisa Ufológica de Santa Catarina acompanha os fenômenos desde 2014 por meio de coletas de materiais, entrevistas com testemunhas, fotografias, vídeos e vigílias.

Pesquisadores vão ao local para falar com as testemunhas e aproveitam para registrar fotos e vídeos. Sinais no solo ou em objetos têm material coletado para análise posterior.

Assim que são encontrados fundamentos, o caso é aberto para que a pesquisa seja desenvolvida. Luiz Prestes Junior explica que o grupo utiliza a ciência e a tecnologia para conferir a veracidade dos fatos. Softwares analisam os registros e verificam se há adulteração nas imagens. Somente depois de ser considerado autêntico, o GPU-SC divulga o material.

Nos casos da Estrada Cornelsen, por exemplo, foi utilizado um detector de anomalia eletromagnética. Por lá, a leitura do índice de microteslas ― uma unidade de medida de fluxo magnético ― passou de 3 mil, enquanto em outras regiões ficou abaixo de 500. Para efeito de prova e contraprova, as leituras foram realizadas mais de duas vezes.

Enquanto não há a confirmação das autoridades sobre a existência de vida extraterreste, muito menos a visita de ETs ao nosso planeta, os casos continuam acontecendo e se tornando registros.

Colunistas