nsc
dc

Incêndio

Rodeados pelo fogo e em terreno irregular: como policiais e bombeiros resgataram animais na Serra do Tabuleiro

Polícia Militar Ambiental relata o momento do resgate de um jabuti no meio das chamas que devastaram o parque na Grande Florianópolis

12/09/2019 - 12h59 - Atualizada em: 12/09/2019 - 18h18

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo
Soldado Leonardo Régis segurando o jabuti encontrado no incêndio no parque
(Foto: )

A perda ambiental no incêndio que devastou o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, na Grande Florianópolis, ainda é incalculável. Especialistas apontam que a perda para a fauna deve ser a mais impactante. Animais em extinção habitavam o local e, pela proximidade da primavera, a área do parque estava cheia de ninhos que possivelmente viraram cinzas.

No meio desse cenário e durante o combate às chamas altas que tomaram conta do interior do parque especialmente entre a tarde e a noite de quarta-feira, alguns policiais e bombeiros conseguiram resgatar animais que estavam presos pelas chamas. Foi nesse momento o registro do soldado Leonardo Régis da Silva, da Polícia Militar Ambiental, carregando um jabuti para fora do incêndio. A foto gerou repercussão nesta quinta-feira de manhã e mostra um pouco do que foi a ação no interior do parque no dia anterior.

Em conversa por telefone com a reportagem, o soldado Régis relatou a situação em que a foto foi tirada e como estava o trabalho da equipe. O resgate do jabuti ocorreu por volta das 18h no interior do parque, no momento em que as chamas estavam no auge.

— Foi bem impactante, a gente sabe que teve um impacto até irreversível ali, e o cenário era de uma dificuldade tremenda. Estávamos no banhado afundando até o joelho, com restrições de equipamento, carregando 20 litros de água nas costas, fazendo o que era possível. Nesse cenário não dava para ver muito os animais, alguns já carbonizados — relata o policial de 29 anos.

Quem encontrou o jabuti da foto e fez o primeiro resgate foi o tenente Eduardo, que coordenava os trabalhos da PM Ambiental no local. Ele entregou o animal para Régis levar até a viatura, onde uma veterinária do IMA (Instituto do Meio Ambiente) estava para dar apoio.

— Estávamos rodeados pelo fogo naquele momento. Eu precisava voltar para a viatura trocar um equipamento, então o tenente me entregou o jabuti que estava perto do fogo e eu levei até a veterinária, que fez os primeiros atendimentos e depois encaminhou o animal para o Centro de Tratamento de Animais Silvestres.

O jabuti foi o único animal vivo que o soldado viu durante o combate ao incêndio florestal. Em outros pontos em chamas pelo parque, equipes do Corpo de Bombeiro que transitavam pela mata em um quadriciclo conseguiram resgatar outros animais. Segundo o relato dos bombeiros, ao menos duas corujas e dois quatis foram tirados do incêndio no quadriciclo.

Colunistas