O trecho da BR-376, em Garuva, no Norte de Santa Catarina, ganhou nota máxima na pesquisa CNT de Rodovias, feita pela Confederação Nacional de Transportes (CNT). A rodovia recebeu o conceito “ótimo” nos três quesitos avaliados: pavimentação, sinalização e geometria.

Continua depois da publicidade

Receba notícias do NSC Total no WhatsApp

No levantamento, publicado em 29 de novembro, foram analisados seis quilômetros da via. Segundo a Arteris Litoral Sul, o trecho corresponde à área de Serra da BR-376, que tem início na divisa com o Paraná e segue até o contorno de Garuva. Depois, a rodovia se transforma em BR-101 que recebeu o conceito bom no levantamento, ao considerar o estado geral (que leva em conta todos os quesitos analisados pela CNT): bom em sinalização e pavimentação, e ótimo em geometria.

As duas rodovias de SC com o asfalto considerado péssimo, segundo pesquisa

Já o trecho da BR-376, no Paraná, foi considerado bom no quesito estrada geral e em todos os demais itens (pavimentação, sinalização e geometria) pela CNT. Ao todo foram analisados 696 quilômetros da rodovia.

Continua depois da publicidade

Outra rodovia de Santa Catarina também foi considerada ótima pela CNT: a SC-486, localizada em Botuverá, no Vale do Itajaí. Nos itens de sinalização e geometria, o trecho recebeu ótimo, enquanto no pavimento foi avaliado em bom. A pesquisa levou em conta dois quilômetros da rodovia.

Para José Luís Colombe, coordenador da Secretaria de Estado de Mobilidade e Infraestrutura (SIE) na região do Vale do Itajaí, um dos motivos para os bons índices da rodovia foi o projeto de execução para pavimentação da via, que já levou em conta a realidade de quem trafega diariamente pelo trecho.

— Botuverá é a capital catarinense do calcário e das mineradoras, então, existe o trânsito muito pesado que passa nessa rodovia. Isso foi pensado na hora da execução. O que se cuidou nessa rodovia foi a colocação de uma boa base e de uma boa capa asfáltica. Tem alguns problemas de pavimento, estamos tentando resolver, mas ela teve uma durabilidade muito grande — diz.

SC tem 72% das rodovias com algum problema

A pesquisa CNT de Rodovias foi divulgada na quarta-feira (29) e avalia as condições da infraestrutura rodoviária de todo o país.  Em todo o Brasil, foram analisados mais de 111 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, sendo 67.659 quilômetros de malha federal (BRs) e 43.843 quilômetros dos principais trechos analisados.

Continua depois da publicidade

Em Santa Catarina, foram analisados 3.515 quilômetros, cinco a mais que na pesquisa de 2022. De toda a malha rodoviária pavimentada, 72% apresenta algum tipo de problema, sendo a rodovia considerada regular, ruim ou péssima — o que representa 2.529 quilômetros. Só em relação às vias classificadas como péssimas, são 282 quilômetros. Já 28% da malha é considerada ótima ou boa.

No ano passado, 68,2% da malha rodoviária estava com problemas, enquanto 31,8% era considerada ótima ou boa.

O levantamento também apontou que há 34 pontos críticos no Estado. Ao comparar com a pesquisa de 2022, houve um crescimento de 88%, já que no ano passado eram 18 pontos críticos. No entanto, é o menor índice em relação aos demais estados do Sul: Paraná tem 36, enquanto o Rio Grande do Sul tem 59 pontos críticos.

Ainda de acordo com a CNT, para recuperar as rodovias em Santa Catarina é necessário um investimento de R$ 3,71 bilhões em obras de recuperação. Em 2023, o governo federal investiu R$ 405,36 milhões até setembro na infraestrutura rodoviária do Estado. Ao todo, foram liberados R$ 693,58 milhões em recursos.

Continua depois da publicidade

O levantamento também aponta que houve um prejuízo de R$ 1,37 bilhão em acidentes no ano passado. No mesmo ano, o governo gastou R$ 146,95 milhões com obras de infraestrutura rodoviária de transporte.

Confira imagens de rodovias de SC

Leia também

Arteris recebe autorização para obra que acabará com bloqueios entre Santa Catarina e Paraná

Sete a cada dez rodovias de SC tem algum tipo de problema, diz pesquisa; confira ranking

Destaques do NSC Total