nsc
dc

PMF

Saiba como adotar um minhocário; Programa Minhoca na Cabeça vai entregar 400 kits até final de junho

Compostagem doméstica de resíduos orgânicos é uma atitude sustentável e que ajuda a combater o estresse na pandemia

26/04/2021 - 17h17

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
saúde
Minhocário, para compostagem, é distribuído pela PMF
(Foto: )

A terceira fase de distribuição de kits para vermicompostagem do Programa Minhoca na Cabeça, da Prefeitura de Florianópolis e Secretaria Municipal do Meio Ambiente, em parceria com a Autarquia de Melhoramentos da Capital (Comcap), o Fundo Socioambiental Caixa e o Fundo Nacional do Meio Ambiente, está sendo feita em duas etapas de inscrições e, ao todo, vai distribuir 400 minhocários. Durante a pandemia, as atividades do Minhoca na Cabeça vêm sendo realizadas observando todos os cuidados sanitários.

>> Comida de verdade: Busca por alimentos saudáveis é impulsionada pela pandemia

As próximas etapas de inscrição serão realizadas de 26 a 30 de abril – inscrições para 140 vagas nas oficinas de 11 (terça) e 15 (sábado) de maio – e de 31 de maio a 4 de junho – inscrições para 130 vagas nas oficinas de 12 (sábado) e 15 (terça) de junho.

Para receber o kit de vermicompostagem, as pessoas inscritas deverão participar de uma etapa teórica online, com cerca de uma hora e meia de duração, e uma oficina presencial no Jardim Botânico de Florianópolis, no bairro Itacorubi – realizada ao ar livre, com distanciamento social e controle de participantes. Na oficina, serão montados os kits (caixas, composto e minhocas californianas).

Cultivo de minhocas para compostagem pode ser feito até em apartamentos

Ter uma vermicomposteira doméstica é bastante simples. O cultivo pode ser feito em um pequeno espaço, inclusive em apartamento. Ainda há muito desconhecimento a respeito da compostagem, mas os responsáveis pelo Minhoca na Cabeça explicam que, quando bem manejadas, as composteiras não produzem odor nem atraem insetos.

O treinamento teórico oferecido pelo projeto demonstra que a operação da vermicomposteira é fácil e pode, inclusive, se tornar uma ótima atividade familiar em tempos de pandemia, pois além de sustentável, ajuda a combater o estresse. Para famílias com crianças, o minhocário é uma excelente ferramenta de observação e aprendizado sobre ciclos da vida.

Para manejar o minhocário, basta criar camadas intercalando resíduos orgânicos (no curso teórico, os participantes do projeto aprendem o que pode ou não ser colocado na composteira) e matéria seca (como folhas ou serragem). As minhocas e outros micro-organismos presentes no composto distribuído nos kits se alimentam do resíduo orgânico e o transformam em húmus e em biofertizante líquido, compostos nutritivos que podem ser usados em hortas, jardins ou em vasos de plantas.

Em 2020, mais de 100 toneladas de resíduo orgânico foram desviadas do aterro sanitário

No último ano, o Programa Minhoca na Cabeça distribuiu 700 kits para compostagem doméstica. Com isso, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente estima que mais de 100 toneladas de resíduos orgânicos foram compostados e viraram composto orgânico. Isso é importante para reduzir a quantidade de lixo que chega ao aterro sanitário todos os anos.

Somado aos demais serviços, como a coleta seletiva e entrega voluntária realizados pela Comcap, calcula-se que mais de cinco mil toneladas de resíduos orgânicos foram recuperadas em 2020. O que significa a redução de emissão de gases poluentes na atmosfera – cerca de 35 mil toneladas de dióxido de carbono (CO²) ao ano.

LEIA MAIS

Florianópolis ocupa o primeiro lugar entre as cidades com melhor saúde do país

Colunistas