nsc
dc

Risco de variantes

SC anuncia vacinação em massa contra Covid em cidades na fronteira com a Argentina

Objetivo é evitar uma possível entrada da variante Delta na região Oeste do Estado

20/07/2021 - 16h53

Compartilhe

Por Luana Amorim
Para o processo, Secretaria de Estado de Saúde solicitou 25 mil doses extras para finalizar a vacinação na região
Para o processo, Secretaria de Estado de Saúde solicitou 25 mil doses extras para finalizar a vacinação na região
(Foto: )

Santa Catarina vai realizar uma vacinação em massa contra Covid-19 em todos os adultos, com mais de 18 anos, que moram nas 10 cidades do Oeste catarinense que fazem fronteira com a Argentina. O principal objetivo é frear a possibilidade de uma infecção pela variante Delta na região, segundo o superintendente de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A decisão de intensificar a vacinação na região foi discutida na reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) desta terça-feira (20), seguindo uma recomedação do Ministério da Saúde, que pediu que a ação fosse realizada em todos os estados que fazem fronteira com Uruguai, Paraguai, Argentina, Bolívia, Peru, Colômbia e Venezuela. 

Para isso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) recebeu 25 mil doses extras da vacina contra a Covid-19 do Ministério para atender a população dos seguintes municípios: Bandeirante, Belmonte, Dionísio Cerqueira, Guaraciaba, Itapiranga, Paraíso, Princesa, Santa Helena, São José do Cedro e Tunápolis. As vacinas serão enviadas nesta quarta-feira (21).

— Essa é uma população que tem um contato muito grande com o país vizinho, um fluxo que pode gerar riscos à população desses municípios para uma possível contaminação pela variante. Por isso, é necessária essa proteção para que não haja a evolução para casos mais graves — salienta Macário.

Na Argentina, já foram detectadas 93 amostras das variantes Lambda e Delta. Ainda de acordo com o superintendente, no momento, está descartada a ampliação da medida para cidades que fazem divisa com outros Estados, como o Paraná. 

O estado paranaense já confirmou 13 casos da variante Delta e seis óbitos - entre eles na cidade de Piên, que faz divisa com Santa Catarina. Apesar disso, a Secretaria de Saúde do Paraná ainda considera a transmissão como local. 

— Nosso foco é trabalhar com tudo para que todos os catarinenses, acima de 18 anos, sejam imunizados até o fim de agosto — reforça Macário. 

> Variante Delta: saiba a eficácia das vacinas Astrazeneca, Coronavac, Janssen e Pfizer

> A variante delta do coronavírus é mais perigosa e tem sintomas diferentes das outras? Entenda

Nas redes sociais, o governador Carlos Moisés também comemorou a antecipação na região. "A medida faz parte dos esforços para diminuir o risco de introdução de novas variantes em Santa Catarina", destacou na publicação. 

Coomo está a vacinação nas 10 cidades na fronteira com a Argentina: 

Segundo dados do Monitor da Vacina do NSC Total, até a tarde desta terça-feira, o ritmo de vacinação nas 10 cidades catarinenses que fazem fronteira com a Argentina estava da seguinte forma (D1 significa primeira dose e D2 segunda dose ou vacina de dose única):

- Dionísio Cerqueira: D1: 50,58; D2: 18,85% 

- Princesa: D1: 49,89%; D2: 21,28%

- São José do Cedro: D1: 52,45%; D2: 22,08%

- Guaraciaba: D1: 70,26%; D2: 22,33% 

- Paraíso: D1: 62,86%; D2: 23,21%

- Bandeirante: D1: 62,50%; D2: 25,60%

- Belmonte: D1: 53,45%; D2: 25,25%

- Santa Helena: D1: 63,45%; D2: 25,55%

- Tunápolis: D1: 57,55%; D2: 26,63%

- Itapiranga: D1: 44,73%; D2: 15,99

Para receber o imunizante, a pessoa deverá apresentar documento de identificação e comprovante de residência. Cada cidade irá receber o seguinte quantitativo de doses para a vacinação em massa da população: 

- Bandeirante: 764 doses - Belmonte: 878 - Dionísio Cerqueira: 4.960 - Guaraciaba: 3.144 - Itapiranga: 6.151 - Paraíso: 932 - Princesa: 1.043 - Santa Helena: 677 - São José do Cedro: 4.529 - Tunápolis: 1.381

Leia também: 

Terceira dose da AstraZeneca? Anvisa autoriza estudo para avaliar eficácia

Pode beber depois de tomar a vacina da Covid-19?

Florianópolis paga viagem por app para quem for se vacinar contra a Covid; saiba como conseguir

Colunistas