nsc
dc

Coronavírus

Variante Delta: saiba a eficácia das vacinas Astrazeneca, Coronavac, Janssen e Pfizer

Cepa que surgiu na Índia já é predominante em cinco países e causou mortes no Brasil

09/07/2021 - 10h38 - Atualizada em: 15/07/2021 - 19h43

Compartilhe

Fernanda
Por Fernanda Mueller
Entenda o que já se sabe se sobre a eficácia das vacinas aplicadas no Brasil contra a variante Delta
Entenda o que já se sabe se sobre a eficácia das vacinas aplicadas no Brasil contra a variante Delta
(Foto: )

O avanço da variante Delta da Covid-19 pelo mundo tem sido motivo de preocupação sobre o futuro da pandemia no Brasil. Detectada originalmente da Índia, ela foi registrada pela primeira vez no Brasil há cerca de um mês e já é responsável por pelo menos duas mortes no país. Com isso, surgem dúvidas se as vacinas serão capazes de barrar a nova cepa. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

A variante Delta já é considerada predominante em ao menos mais quatro países além da Índia, onde ela foi descoberta: Reino Unido, Israel, México e Bélgica. Estudos apontam que ela é pelo menos 50% mais transmissível do que variantes anteriores.

Entenda o que já se sabe se sobre a eficácia das vacinas aplicadas no Brasil contra a variante Delta: 

Astrazeneca e Pfizer 

Testes realizados em países europeus mostram que as vacinas da Astrazeneca e da Pfizer são eficazes contra a variante Delta. A pesquisa mais recente, liderada pelo Instituto Pasteur, da França e publicada na quinta-feira (8) pela revista científica Nature, mostrou que os imunizantes têm 95% de eficácia contra a cepa, mas somente após duas doses. 

De acordo com o estudo, entre os que receberam somente uma dose de um desses imunizantes, 10% conseguiram neutralizar a variante, mas a taxa aumentou consideravelmente em pessoas completamente imunizadas.   

No artigo, os cientistas do Pasteur descrevem que a Delta foi, de longe, a variante que mais deu trabalho para as células de sistema imune nos experimentos de laboratório. 

> A variante delta do coronavírus é mais perigosa e tem sintomas diferentes das outras? Entenda

Janssen 

A Johnson & Johnson anunciou, em nota oficial na quinta-feira (1), que a vacina Janssen protege contra a variante delta por até oito meses. Segundo a empresa, oito pessoas imunizadas com a Janssen tiveram anticorpos que neutralizaram a cepa.No entanto, o estudo da empresa ainda não foi revisado por outras revistas científicas. 

> Teve reação à vacina da Covid? Veja o que fazer

Coronavac 

Ainda não se tem certeza se a vacina CoronaVac é eficaz contra a variante delta da Covid-19. O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou na quarta-feira (7) que o imunizante apresentou bons resultados em laboratório, mas ainda faltam dados populacionais. 

Conforme a Sinovac, farmacêutica chinesa que desenvolveu a Coronavac, resultados preliminares baseados em amostras de sangue dos vacinados mostraram uma redução de três vezes no efeito neutralizante contra a cepa. 

A empresa disse que uma injeção de reforço após as duas doses poderia provocar uma reação de anticorpos mais forte e duradoura contra a Delta, mas não forneceu mais detalhes.

Leia também:

As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

Segunda dose da vacina da Astrazeneca é antecipada em SC

​Efeitos colaterais da Pfizer; veja os sintomas mais relatados

Teste para Covid mais barato e rápido do que o PCR é desenvolvido em SC

Mamografia após vacina contra Covid não causa câncer de mama, alerta mastologista

Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC​​

Nevascas históricas em Santa Catarina; veja fotos e quando aconteceram​​

Colunistas