nsc
dc

Violência doméstica

SC registra 250 pedidos de medida protetiva online em menos de dois meses

Processo pela internet começou a funcionar no fim de abril no Estado

23/06/2022 - 09h57 - Atualizada em: 24/06/2022 - 06h02

Compartilhe

Diane
Por Diane Bikel
O processo é feito pela Delegacia Virtual, no site da Polícia Civil de Santa Catarina
O processo é feito pela Delegacia Virtual, no site da Polícia Civil de Santa Catarina
(Foto: )

Santa Catarina registrou 250 pedidos de medida protetiva online em menos de dois meses, segundo o que divulgou a Polícia Civil. O serviço pela internet começou a funcionar no dia 28 de abril e, desde lá, aproximadamente cinco solicitações foram feitas diariamente pelo sistema.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Os dados foram contabilizados até o dia 20 de junho. Apenas na última semana, de acordo com o órgão, 27 pedidos foram solicitados.

A Capital foi a cidade que registrou o maior número de medidas protetivas de urgência ao contabilizar 29 solicitações dentro do período - abril a junho. Atrás estão Joinville, com 24 pedidos, e Itajaí, 17.

> Juíza de SC que impediu aborto de menina é engajada em adoção de crianças; veja perfil

O processo é feito pela Delegacia Virtual, no site da Polícia Civil de Santa Catarina. Conforme o que afirmou a Polícia Civil, o novo procedimento traz agilidade nos processos que requerem proteção imediata das vítimas.

Números totais

Entre janeiro e maio deste ano, 9.441 medidas protetivas foram requeridas em Santa Catarina. O número representa 47% das solicitações totais - em todo o ano - de 2021, quando 19.702 solicitações foram registradas.

> SC tem 15% das vítimas de feminicídio em 2021 mortas pelos próprios pais

As mortes também assustam. No período analisado - janeiro a maio - 26 mulheres foram mortas por violência de gênero no Estado. O número é o dobro do que em 2021, ano que registrou 13 mortes dentro do período.

Leia também

"Não sou contra aborto", diz juíza de SC que impediu procedimento à criança estuprada

MPF recomenda que Hospital Universitário realize aborto em criança grávida após estupro em SC

Entenda em quais casos a lei permite aborto no Brasil

Colunistas