nsc
hora_de_sc

Polêmica

Sérgio Reis diz que não é "puxa-saco do Bolsonaro" e que não tem medo de ser preso: "Cadeia é pra homem"

Em vídeos postados nas redes, Sérgio Reis pediu o impeachment de ministros do STF e convocou uma paralisação nacional de caminhoneiros

19/08/2021 - 13h30

Compartilhe

Marina
Por Marina Martini Lopes
Sérgio Reis
Em entrevista, Sérgio Reis disse que se arrepende de ter gravado os vídeos
(Foto: )

Sérgio Reis afirmou ao jornal O Globo que não tem medo de ir para a cadeia depois da repercussão negativa de um vídeo postado por ele nas redes sociais no último final de semana: na gravação, o cantor e ex-deputado demonstra apoio ao presidente Jair Bolsonaro e pede o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), além de incitar uma paralisação de caminhoneiros para o dia 7 de setembro.

Depois da repercussão, um grupo de 29 subprocuradores da República ingressou com uma representação contra Sérgio Reis pelo suposto cometimento dos crimes de incitação à subversão da ordem política ou social e de incitação ao crime.

Na entrevista ao Globo, o sertanejo disse que se arrepende de ter gravado os vídeos:

- Eu estava conversando com um amigo. Era tudo brincadeira. Ele postou no grupinho dele, e aquilo foi para fora - justificou. - E isso me prejudicou muito. Não era a minha intenção. Não temos que quebrar nada. Tem que fazer uma passeata serena, sem briga. Sem nada. Eu me arrependo demais de ter falado com um amigo. Amigo da onça, sabe como é.

> De galã a negacionista: ex-RBD é detonado após falas sobre a pandemia

Sérgio Reis também afirmou que não tem medo de ir para a cadeia:

- Eu não tenho medo de ser preso. Não sou frouxo. Não sou mulher. Cadeia é para homem - declarou. - Eu não saí daqui de casa. Estou aqui em casa quietinho. Se a federal vier me buscar, eu vou. Não matei ninguém. Não prejudiquei ninguém. Nunca falei mal de nenhum ministro. Agora, se os caminhoneiros querem ir lá, eles me ouvem muito e me perguntam: "Sérgio, a gente quer fazer". Aí eu falo: "A vida é de vocês. Se querem fazer, façam".

Já em entrevista ao site Congresso em Foco, o cantor disse que não é "puxa-saco do Bolsonaro":

- Eu errei mesmo, errei muito. Não sou puxa-saco do Bolsonaro. Não devia ter falado, porque as pessoas pensam... Falei com um amigo. Ele postou num grupinho. Um amigo da onça. É da vida - contou. - Estão me ameaçando, pensando que estou com medo. Mas não me escondi. Estou aqui em casa, não agredi ninguém. Arco com minha responsabilidade.

- Querem me massacrar. Já estou tendo prejuízo - prosseguiu. - Cancelaram quatro shows e dois comerciais que ia fazer agora. Tiraram do ar um que faço para um supermercado de Curitiba. Vão tirar por um mês do ar e esperar para ver o que acontece.

> Nova live da Camerata apresenta trilhas inesquecíveis do cinema

No vídeo postado originalmente, Sérgio Reis fala sobre a suposta paralisação que estaria programada para o dia 7 de setembro:

- Ninguém trafega, ninguém sai. Ônibus volta para trás com passageiros. Só vai passar a Polícia Federal, ambulância, bombeiro e cargas perecíveis. Fora isso, ninguém anda no Brasil - afirma. - Se em 30 dias não tirarem os caras, nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra. Pronto. É assim que vai ser.

Leia também:

> Mostra Afora apresenta o trabalho artístico produzido no Oeste de Santa Catarina

> FAM divulga filmes selecionados para a edição de 2021

> Reveja a transmissão do primeiro evento-teste em SC na pandemia

Colunistas