nsc
    an

    Meio ambiente

    Serpentes são resgatadas de cativeiro ilegal em bairro de Joinville

    Espécies não são nativas do Brasil, conforme Polícia Ambiental

    09/08/2020 - 09h44 - Atualizada em: 09/08/2020 - 09h52

    Compartilhe

    Patrícia
    Por Patrícia Della Justina
    Ela foram resgatadas no último sábado em Joinville
    Ela foram resgatadas no último sábado em Joinville
    (Foto: )

    A Polícia Militar Ambiental de Joinville resgatou oito serpentes de um cativeiro em um bairro da zona Leste da cidade. Conforme a polícia, os animais eram criados ilegalmente no bairro Iririú. 

    > Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do A Notícia

    Foram recuperadas sete corn snake, também conhecidas como Cobra-do-milho, e uma Píton na manhã do último sábado (8). As duas espécies não são nativas do Brasil e, se soltas indiscriminadamente na natureza, podem causar desequilíbrio ambiental de acordo com a polícia.

    > Macuco é filmado em SC após 20 anos; veja vídeo

    > Naja que deixou brasileiro em coma vira meme e ganha perfil em rede social

    > "Espero por você, filha, nesse dia dos pais", desabafa pai de menina desaparecida em Araquari

    Ainda segundo a Polícia Militar Ambiental, o responsável deve responder por crime ambiental previsto na Lei 9.605/1998, que antevê pena de detenção entre seis meses e um ano, além de multa para "quem vende, expõe à venda, exporta ou adquire, guarda, tem em cativeiro ou depósito, utiliza ou transporta ovos, larvas ou espécimes da fauna silvestre, nativa ou em rota migratória, bem como produtos e objetos dela oriundos, provenientes de criadouros não autorizados ou sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente".

    > Secretário de Desenvolvimento quer IMA como parceiro dos empresários

    Espécies não são nativas brasileiras
    Espécies não são nativas brasileiras
    (Foto: )

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas