nsc
dc

Paralisação

Servidores declaram fim da greve em Florianópolis após uma semana

Decisão ocorreu após assembleia nesta quarta; serviços de saúde, educação, coleta de lixo e assistência social foram afetados

16/02/2022 - 16h37 - Atualizada em: 16/02/2022 - 16h50

Compartilhe

Luana
Por Luana Amorim
Greve foi deflagrada pelos servidores no dia 9 de fevereiro
Greve foi deflagrada pelos servidores no dia 9 de fevereiro
(Foto: )

Após uma semana, foi confirmado o fim da greve dos servidores municipais em Florianópolis nesta quarta-feira (16). A decisão ocorreu após uma assembleia entre os servidores durante a tarde, que também determinou o retorno imediato das atividades. A informação foi confirmada pela prefeitura da Capital. 

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Na terça (15) e quarta-feira, representantes da prefeitura e do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Municipal de Florianópolis (Sintrasem) chegaram a se reunir em uma audiência conciliatória que ocorreu na sede do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC). 

> Veja quais escolas, creches e centros de saúde de Florianópolis têm atendimento afetado pela greve

Durante a negociação, que foi presidida pelos desembargadores Sônia Maria Schmitz, do TJSC, e Wanderley Godoy Júnior, vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 12º região, o município apresentou opções em relação à aplicação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários, e ao piso do magistério. 

Além disso, a prefeitura firmou o compromisso de repor as vagas abertas e criar comissões para discutir as condições de trabalho, mas reiterou que não seja extrapolado o limite prudencial de gasto com pessoal. 

Relembre 

A greve dos servidores municipais, que engloba principalmente os setores da saúde, educação e assistência social, teve início em 10 de fevereiro. 

Entre as queixas da categoria, segundo o Sintrasem, estavam férias canceladas, falta de valorização salarial e de investimentos nas unidades de acolhimento e assistência social. A paralisação afetou diversos serviços em pontos diferentes da cidade. 

Também aderiram à greve funcionários da Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap), o que fez que vários bairros de Florianópolis registrassem montanhas de lixo nas calçadas e ruas. Ao menos 90% dos serviores aderiram à greve na Capital, de acordo com o sindicato. 

Por causa da paralisação, três empresas foram contratadas pela prefeitura para fazer a coleta do lixo nas regiões onde os trabalhos normalmente são feitos pela companhia. 

Na quinta-feira (10), a Justiça acatou um pedido de liminar solicitado pela prefeitura de Florianópolis e declarou ilegal a greve deflagrada por servidores públicos do município. 

Como houve o descumprimento do pedido, que determinou o retorno imediato de todos os servidores municipais às atividades, o TJSC bloqueou R$ 100 mil do Sintrasem na sexta-feira (11). ​

A Justiça definiu também uma multa de R$ 300 mil por cada dia de descumprimento da decisão e autorizou que a prefeitura desconte dos grevistas e abra sindicância para processo administrativo e disciplinar. O Ministério Público também foi acionado para averiguar as ações do sindicato ligadas à greve.

Leia também: 

Florianópolis tem "montanhas" de lixo no 6º dia de greve da Comcap; veja fotos

Mercado Público de Florianópolis não apresenta plano contra incêndios e ameaça de interdição volta à tona

Centros de Saúde e CAPS de Florianópolis têm atendimento parcial

Colunistas