nsc
dc

Crise no Inep

Servidores do Inep revelam censura em conteúdo das provas do Enem

Na última semana, 37 servidores públicos pediram exoneração de seus cargos e criticaram gestão do Instituto

15/11/2021 - 09h05

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Prova do Enem é elaborada todos os anos com 180 questões
Prova do Enem é elaborada todos os anos com 180 questões
(Foto: )

Na última semana, 37 servidores públicos do Instituo Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que organiza o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pediram exoneração de seus cargos. Ao Fantástico, da TV Globo, eles revelaram censura no conteúdo das provas e fragilidade administrativa da atual gestão. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A prova do Enem é elaborada todos os anos com 180 questões, com perguntas retiradas do Banco Nacional de Itens, formado por milhares de questões feitas por professores escolhidos por edital. O processo de criação da prova pela equipe técnica do Inep acontece em um espaço chamado “ambiente seguro”.

Os servidores relatam que após a elaboração das questões do Enem, uma pessoa é designada para fazer o trabalho de leitura dos itens. Quem ocupa esse cargo de direção é Anderson Oliveira. 

— Esse dirigente designado pelo presidente do Inep, Danilo Dupas, foi até o ambiente seguro, fez a leitura das questões que essa equipe técnica havia montado, essa primeira prova do Enem, e solicitou a exclusão de mais de duas dezenas de questões dessa primeira versão da prova — contou um servidor ao Fanástico. 

— Eram questões que tratavam principalmente da história recente do país, dos últimos 50 anos. Sob o ponto de vista da equipe técnica, não havia qualquer reparo pedagógico a ser feito na primeira versão da prova — afirma um servidor. 

Com isso, os servidores se viram obrigados a elaborar uma segunda versão da prova do Enem. No entanto, a prova ficou com nível muito abaixo da anterior. 

— Sem utilizar aqueles itens que foram objeto de exclusão, a prova baixava a nota máxima possível. Enfraqueceria fortemente a capacidade da prova do Enem. E isso foi objeto de um terceiro movimento, de se fazer uma terceira versão de prova — explica o servidor. 

Nessa terceira versão, alguns itens que haviam sido retirados da primeira prova voltaram para equilibrar o grau de dificuldade do Enem. 

> Aulão NSC para o Enem 2021

— O Inep sempre foi dirigido por pessoas que tinham alguma trajetória acadêmica. Esse presidente que está agora é uma pessoa sem currículo, sem experiência, está lá porque o ministro da Educação decidiu que seria a pessoa que estaria disposto a fazer o que eles queriam: entrar na prova e retirar aquilo que eles acham que o presidente não iria gostar — diz o servidor, referindo-se ao presidente Jair Bolsonaro, que já havia criticado algumas questões de provas anteriores. 

Após o pedido coletivo de exoneração de cargos pelos servidores, o presidente do Inep, Danilo Dupas, foi convocado na comissão de educação da Câmara dos Deputados para dar explicações, mas disse que gostaria de tratar internamente a questão. 

A prova do Enem está prevista para o próximo domingo (21). O presidente do Inep e os servidores confirmaram que ela está garantida.

Leia também

Simulador das Notas de Corte do Sisu: calcule suas chances​​

Confira 10 dicas de Gramática para o Enem

Como não perder pontos em vícios de linguagem na redação do Enem

Saiba os 10 temas que mais caem no Enem desde 2009​​

Colunistas