A Dengue é uma doença que afeta o Brasil há muito tempo. Ainda mais nos meses de verão, onde o clima propicia uma maior proliferação dos mosquitos transmissores. No começo do ano de 2024, os casos registrados aumentaram em vários estados, inclusive em Santa Catarina. Continue a leitura para saber os sintomas da dengue, o que é a hemorrágica e o tratamento da doença.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

O que é a dengue?

De acordo com o site da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), a dengue é uma doença viral causada por um vírus que pertence à família dos Flavivírus. Em território brasileiro, a principal forma de transmissão é através da fêmea do mosquito Aedes aegypti, quando ela também está infectada.

Dessa forma, quando pica alguém, a doença pode ser transmitida tanto em sua versão mais comum e branda, quanto a forma chamada de hemorrágica.

Sintomas da Dengue

Ainda segundo a Fiocruz, os sintomas da dengue comum são os seguintes:

Continua depois da publicidade

  • Febre alta de início abrupto (39ºc a 40ºC);
  • Dor na cabeça ou atrás dos olhos;
  • Náuseas;
  • Tonturas;
  • Vômitos;
  • Erupções na pele (semelhantes à rubéola).

A princípio a dengue pode ter sintomas parecidos com outras doenças causadas por vírus, como gripe e covid-19. Porém, segundo a infectologista Melissa Falcão, em entrevista à BBC News Brasil, destaca que a dengue geralmente não tem os sintomas respiratórios que as outras duas têm, como tosse e falta de ar, por exemplo.

Diferenças entre dengue comum e dengue hemorrágica

Normalmente, a grande diferença entre as duas está nos sintomas e na evolução do quadro da dengue. A Fiocruz aponta que, de início, os sintomas são os mesmos que a versão clássica. Porém, rapidamente, em cerca de três ou quatro dias, ocorre um agravamento repentino dos sintomas. Nesse momento, os sintomas usuais são uma forte dor abdominal, vômito e pele seca.

Em seguida, pode ocorrer uma queda de pressão junto com desmaios. Caso a situação não seja tratada rapidamente, o paciente pode falecer em algumas horas.

Continua depois da publicidade

Até o momento, as razões exatas que fazem o quadro hemorrágico se desenvolver são desconhecidas pela ciência. No entanto, fatores genéticos têm uma notória importância no contexto. Além disso, a dengue hemorrágica pode aparecer na segunda infecção pelo vírus. Mas atenção, pois segundo a Fiocruz, isso não é uma regra definitiva.

Tratamento e Prevenção

Por enquanto, não existe um remédio eficaz contra o vírus. O que é feito na maioria dos casos é a tentativa de atenuar os sintomas da dengue com analgésicos e antitérmicos.

Além disso, recomenda-se um foco maior em hidratação, com o consumo de água, chás, sucos e soro caseiro. Conforme a Fiocruz, medicamentos derivados do ácido acetilsalicílico e antiinflamatórios derivados desse composto (como a dipirona) não devem ser ingeridos. Já que esses podem causar hemorragias no paciente.

Já a prevenção pode ser feita de várias maneiras. Como a fêmea do Aedes aegypti coloca seus ovos em locais com água parada. Assim, tampe a caixa d’água e fique atento a locais que possam ser criadouros como vasos de planta, garrafas plásticas, piscinas sem uso, pneus, e galões d’água.

Continua depois da publicidade

Leia também

Saiba as cidades de SC que vão receber as primeiras doses da vacina contra a dengue

O que acontece no corpo quando sentimos muito calor

Destaques do NSC Total