nsc
    dc

    Pandemia

    Sobe de 10 para 13 o número de regiões de SC em risco gravíssimo para coronavírus

    Apenas três regiões de SC não estão na classificação gravíssima

    13/01/2021 - 17h01 - Atualizada em: 13/01/2021 - 17h25

    Compartilhe

    Lucas
    Por Lucas Paraizo
    Centro de Florianópolis
    Grande Florianópolis saiu de risco gravíssimo para grave
    (Foto: )

    Subiu de 10 para 13 o número de regiões de Santa Catarina em situação de risco gravíssimo para o coronavírus. O mapa de risco potencial por região foi atualizado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) nesta quarta-feira (13) à tarde.

    > Florianópolis e Balneário Camboriú puxam aumento de casos ativos de coronavírus no Litoral de SC

    Apenas as regiões da Grande Florianópolis, Carbonífera e Alto Vale do Itajaí foram classificadas em nível grave (cor laranja). O Alto Vale do Itajaí se manteve na mesma situação, enquanto a Grande Florianópolis e a região Carbonífera caíram do vermelho para o laranja.

    > Governo de SC publica regras para transporte intermunicipal e interestadual

    Em cinco regiões o cenário se agravou e mudou a situação de grave para gravíssima: Alto Uruguai Catarinense, Extremo Oeste, Extremo Sul, Laguna e Serra Catarinense. Segundo a SES, a transmissibilidade do coronavírus apresentou praticamente todas as regiões em nível gravíssimo, com exceção das regiões da Serra e Carbonífera.

    — O que mais chamou a atenção foi um aumento no número de casos confirmados durante a semana, o que provavelmente é um indicativo de como a pandemia pode encaminhar nas próximas semanas — apontou a epidemiologista Maria Cristina Willemann.

    Para a classificação, o mapa de risco considera o comportamento da pandemia, a transmissibilidade, monitoramento dos casos e a ocupação de leitos de UTI.

    Nas regiões que passaram de grave para gravíssimo, voltam a ser proibidos o esporte recreativo e o funcionamento de casas noturnas, que no estágio laranja podem funcionar com 20% da capacidade. Há também mudanças na capacidade de ocupação de museus, teatro, cinema e outros.

    Já as regiões que passaram do gravíssimo para grave deixam de precisar cumprir essas restrições, embora outras normas como restrição de público em alguns locais e eventos sociais sigam valendo.

    > Ministério da Saúde estuda fazer evento no dia 19 para celebrar início da vacinação contra Covid-19

    > Bolsonaro tentou sabotar medidas contra Covid-19, diz relatório da Human Rights Watch

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas