nsc
an

Investigação

Suspeitos de assassinar radialista são presos em Canoinhas

Duas pessoas foram presas por latrocínio após identificação nos vídeos de monitoramento e uma terceira por receptação do celular da vítima

03/08/2022 - 19h06

Compartilhe

Mariana
Por Mariana Passuello
Radialista Paulo Ricardo Ferreira, de 34 anos, foi encontrado morto no dia 24 de julho
Radialista Paulo Ricardo Ferreira, de 34 anos, foi encontrado morto no dia 24 de julho
(Foto: )

Dois suspeitos de assassinar o radialista catarinense Paulo Ricardo Ferreira, de 34 anos, foram presos pela Polícia Civil em Canoinhas, no Planalto Norte, nesta quarta-feira (3), por latrocínio, roubo seguido de homicídio. O crime aconteceu no dia 24 de julho e, segundo a investigação, teve motivação patrimonial. 

Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

De acordo com o delegado Darci Nadal Junior, os suspeitos, de 20 e 21 anos, foram identificados por meio dos vídeos de câmeras de monitoramento após a polícia determinar os locais que a vítima frequentou e os trajetos feitos pela área urbana do município na madrugada do crime.

Assim, foi possível determinar o momento exato em que o radialista encontrou os dois suspeitos do crime na região central da cidade. 

Oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos durante a investigação. Nas ações, os policiais encontraram as roupas utilizadas pelos dois autores do crime no dia do assassinato. 

O celular roubado da vítima também foi localizado, e estava na casa de um terceiro indivíduo. A pessoa foi presa temporariamente pelo crime de receptação. A polícia ainda apura se ela esteve envolvida em outros crimes da dupla naquela madrugada, como participação no homicídio ou destruição de evidências. 

A polícia descartou a possibilidade da participação de mandantes ou uma motivação política para o crime, visto que não havia indícios neste sentido.

— Do ponto de vista investigativo, não há qualquer dúvida de que a dupla criminosa estava perambulando pelas ruas da região central com a finalidade de encontrar uma vítima para o cometimento de crimes patrimoniais — afirmou o delegado.

O radialista teve outros pertences roubados, como cartões de crédito. Para o delegado, a câmera fotográfica também seria roubada, mas foi "esquecida" pelos criminosos durante a destruição das evidências, como o carro da vítima. 

Nos próximos dias, a investigação será finalizada, formalizada e o inquérito policial será encaminhado para a análise do Ministério Público e do Poder Judiciário.

Segundo o Códio Penal, a pena para o crime de roubo seguido de morte é reclusão de 20 a 30 anos e multa.

Relembre o caso

O radialista catarinense Paulo Ricardo Ferreira, de 34 anos, foi encontrado morto no dia 24 de julho em Canoinhas, a poucos metros de um carro que estava totalmente incendiado e dentro de uma vala no Parque de Exposições Ouro Verde.

Quando foi localizado, o corpo da vítima já apresentava rigidez cadavérica e sem sinais de queimaduras. Segundo os socorristas, a vítima tinha ferimentos na cabeça.

A PM registrou a ocorrência, inicialmente, como homicídio. 

Leia também 

Assaltante que participou de tiroteio em Florianópolis tem prisão preventiva decretada

Eleições 2022: guia mostra tudo o que você precisa saber

Mais de 5 mil alunos precisam ajustar dados para receberem auxílio estudantil em SC

Colunistas