O presidente do TCU (Tribunal de Contas da União), Bruno Dantas, entrega nesta quarta-feira (16) ao coordenador da transição, Geraldo Alckmin (PSB), um relatório com os principais pontos que merecem atenção no futuro mandato.

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O material lista 29 áreas críticas com ameaça de “vulnerabilidade a fraude, desperdício, abuso de autoridade, má gestão ou necessidade de mudanças profundas para que os objetivos das políticas públicas sejam cumpridos”.

Uma das áreas é a de pagamento de pessoal e benefícios sociais. De acordo com os técnicos da corte, há um prejuízo estimado em R$ 5,65 bilhões por ano em pagamentos indevidos. Só em 2020, foram identificadas 2,4 milhões de ocorrências.

Desigualdade patrimonial entre negros e brancos em SC é a maior do país

Continua depois da publicidade

Na Codevasf, o tribunal questiona o aumento da dependência das emendas parlamentares e a falta de análise criteriosa quanto ao interesse social e a necessidade das demandas apresentadas.

Os técnicos analisaram a vulnerabilidade dos sistemas informatizados da administração pública. Eles identificaram que 74,6% das 410 organizações não possuem política de backup aprovada formalmente.
Também é apontada a demora na concessão do BPC (Benefício de Prestação Continuada), que levava em média 311 dias em 2020, quando o prazo previsto é de 45 dias.

Além disso, a gestão dos demais benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) tem um alto índice de judicialização, o que aumenta ainda mais os custos. Entre 2018 e 2021, dos R$ 609 bilhões em despesas previdenciárias e assistenciais 15,1%, foram pagos por decisão judicial.

Mortes por câncer de próstata na região Sul estão acima da média nacional

Também há alertas para o teto de gastos. O relatório destaca a redução das despesas discricionárias, sobretudo investimentos, diante da pressão das despesas obrigatórias. A dívida bruta do governo passou de 51% do PIB em 2013 para 80,3% em 2021, enquanto a média em países emergentes é de 64,5%.

Continua depois da publicidade

No documento, elaborado ainda na gestão da ministra aposentada Ana Arraes, há apontamentos também nas áreas de mineração, inovação, meio ambiente e transportes, entre outros.
Nesta segunda-feira (14), Alckmin anunciou que irá ao TCU receber as informações coletadas pelo tribunal.

*Por Juliana Braga

Leia também

Florianópolis terá o melhor verão em 10 anos; saiba o motivo

As curiosidades e como o mundo chegou à marca de 8 bilhões de habitantes segundo a ONU

Mandato de Jorginho será maior que o de outros governadores de SC; entenda

Destaques do NSC Total