nsc
dc

Governo federal

TCU vai inspecionar MEC para apurar influência de pastores após denúncias

De acordo com o ministro do Tribunal, a apuração dos dados desse caso continua sendo de extrema gravidade, mesmo após a exoneração de Milton Ribeiro

04/04/2022 - 20h02

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Em áudio, ex-ministro do MEC Milton Ribeiro disse que priorizava repasse de verbas a municípios ligados a dois pastores
Em áudio, ex-ministro do MEC Milton Ribeiro disse que priorizava repasse de verbas a municípios ligados a dois pastores
(Foto: )

O ministro Walton Alencar, do Tribunal de Contas da União (TCU), liberou nesta segunda (4) uma inspeção para apurar possíveis irregularidades no Ministério da Educação (MEC). A determinação ocorre em meio a denúncias de influência dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos na liberação de recursos da pasta, que levaram à saída do ministro Milton Ribeiro.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

"Julgo necessária a realização de inspeção para a apuração de irregularidades na gestão das transferências voluntárias do MEC e do FNDE [Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação] quanto à interferência indevida de agentes privados na liberação de recursos públicos na área da educação", apontou Alencar, no despacho datado desta segunda.

De acordo com o ministro do TCU, a apuração dos dados desse caso continua sendo de extrema gravidade, mesmo após a exoneração de Ribeiro.

A reportagem entrou em contato com o MEC para um posicionamento e aguarda resposta. O texto será atualizado em caso de retorno.

Saída de Milton Ribeiro e investigação dos pastores

Milton Ribeiro pediu exoneração do cargo de ministro da Educação no dia 28, uma semana após a divulgação de um áudio em que ele afirmava que o governo federal prioriza a liberação de verbas a prefeituras ligadas a dois pastores. Sem cargos, os líderes religiosos atuariam em um esquema informal de liberação de verbas do MEC, segundo reportagem da Folha de S.Paulo.

— Foi um pedido especial que o presidente da República [Jair Bolsonaro (PL)] fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar [Santos] — diz o ex-ministro na gravação.

A Polícia Federal abriu inquérito na semana passada para investigar a ação dos pastores junto ao MEC. A pedido da Procuradoria-Geral da República, o Supremo Tribunal Federal (STF) também autorizou a abertura de apuração.

Ribeiro admitiu ter encontrado os religiosos, mas isentou Bolsonaro. Nas redes sociais, o pastor Gilmar afirmou serem falsas as notícias sobre sua participação como intermediador na liberação de verbas do MEC para prefeituras. Arilton Moura não se manifestou.

Leia mais

Adriano Pires diz ao governo que desistiu de assumir a Petrobras

Colunistas