nsc
an

CONSIS

Tecnologia de reconhecimento facial ganha espaço na segurança de condomínios

Com o sistema, o controle de acessos fica mais rápido, eficaz e rigoroso

23/04/2021 - 08h24 - Atualizada em: 11/06/2021 - 06h36

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
As leitoras faciais podem ser instaladas em qualquer espaço que dependa do controle de pessoas
As leitoras faciais podem ser instaladas em qualquer espaço que dependa do controle de pessoas
(Foto: )

A tecnologia de leitura de rostos está se popularizando cada vez mais e vai desde filtros do Instagram até a identificação de pessoas em aeroportos. Na palma da mão, um smartphone usa o reconhecimento facial para desbloquear o sistema. No Facebook, é possível localizar amigos de longa data através da detecção facial em fotos.

Na América do Sul, 92% dos países usam o reconhecimento facial, a maior porcentagem entre todos os continentes, de acordo com o levantamento da Surfshark. Hoje, essa tecnologia evoluiu e tornou-se também uma forma de oferecer mais segurança às pessoas.

> A necessidade de inovação para a gestão ambiental

As leitoras faciais são uma solução eficiente para condomínios, edifícios e espaços que possuem circulação de pessoas e buscam oferecer maior segurança no controle. Os dispositivos com a tecnologia podem também ser instalados nas áreas de entrada e saída de pedestres, de acesso de veículos e de admissão em áreas comuns. Além disso, o reconhecimento evita o roubo de identidade, em que pessoas usam documentos falsos para se passar por outras. Por esses motivos, muitos empreendimentos têm investido na instalação desses sistemas de identificação.

Durante a pandemia de Covid-19, dispositivos de reconhecimento facial se tornaram não só ferramentas para promover a segurança física, mas também a sanitária. Condomínios são locais de grande tráfego de pessoas e, portanto, espaços onde a tecnologia pode atuar para reduzir o contato. Por funcionarem sem a necessidade de toque, os dispositivos de reconhecimento facial permitem que os frequentadores mantenham o distanciamento e evitem o toque.

> Internet das coisas se populariza e o controle da casa fica na palma das mãos em SC

Como funciona?

A leitura facial utiliza a biometria para permitir o acesso de alguém, ou seja, informações que cada indivíduo carrega em si. Ao fazer cadastro em um dispositivo de reconhecimento facial, a inteligência artificial lê detalhadamente o rosto da pessoa, coleta dados como a distância entre nariz e olhos, o tamanho do nariz, espessura dos lábios e os codifica em uma sequência digital e numérica. Essa sequência funciona como um “gabarito”. Em outro momento, a câmera do equipamento vai reconhecer as informações daquele rosto e aprovar sua entrada automaticamente.

Eficiência

O sistema viabiliza uma triagem mais rápida, eficaz e rigorosa, já que identifica facilmente pessoas não autorizadas e alerta o responsável quando o equipamento captura rostos desconhecidos ou visitantes indesejados. O recurso também permite que moradores registrem convidados no banco de dados, autorizando o acesso ao condomínio por determinado período.

Conforto

Toda vez que o usuário aproxima o rosto da leitora, o reconhecimento é feito no mesmo instante. Com a tecnologia, os moradores não dependem de chaves ou tags para acessarem o condomínio. Também por ser um recurso contactless, simples atividades do dia a dia são facilitadas, como carregar as compras para dentro de casa. No acesso de veículos, não é necessário que o usuário saia do carro para ter sua entrada aprovada.

Proteção

Ainda hoje, a maioria dos edifícios utiliza travas físicas. A grande desvantagem desse sistema é que qualquer pessoa com uma chave pode entrar a qualquer momento. Com a trava física, não há como permitir que apenas certos usuários acessem o local ou mesmo como limitar o uso a determinadas horas. Com leitoras faciais, além de todas essas opções, são realizados registros sobre quem entrou e saiu de um espaço, permitindo que a segurança investigue incidentes, caso ocorram. Além disso, a face humana é muito mais difícil de fraudar e por isso, é mais eficiente contra fraudes.

Espaços que transmitem segurança aos seus residentes e que inovam em tecnologias de segurança são mais atraentes para o mercado imobiliário. Soluções como as leitoras faciais podem ser adquiridas e instaladas por empresas especializadas em segurança de condomínios, como a Consis.

Entre em contato e saiba mais sobre a leitora facial. Acesse o site ou o Instagram da Consis.

Acesse também o Instagra

Leia também

Growth Hacking: Crescimento acelerado com foco nos dados

Florianópolis tem oito finalistas no Prêmio Inovação Catarinense; saiba quem são

Uso da palavra "vacinado" dispara nas bios do Tinder

Colunistas