nsc
    hora_de_sc

    Dia de votação

    Uso de drones, aglomerações e mesários sem viseira de proteção marcam eleição em Florianópolis

    Eleitores tiveram um dia de eleição diferente, com novas regras em função da pandemia

    15/11/2020 - 15h19 - Atualizada em: 15/11/2020 - 15h48

    Compartilhe

    Por Ângela Bastos
    Agentes da PF usaram drones para coibir irregularidades como boca de urna
    Agentes da PF usaram drones para coibir irregularidades como boca de urna
    (Foto: )

    O uso de drone na fiscalização, a aglomeração de eleitores em alguns locais e a presença de mesários sem viseira de proteção para o rosto chamaram a atenção durante a votação deste domingo (15) em Florianópolis. Os eleitores foram às urnas para escolher prefeito e vereadores nas Eleições 2020.

    > Em site especial, saiba tudo sobre as eleições municipais 2020

    > Veja apuração em tempo real das eleições municipais 2020 em SC

    O Instituto Estadual de Educação (IEE), na Capital, um dos maiores locais de votação de Florianópolis, foi um dos 100 pontos do país escolhidos pela olícia Federal (PF) para uso de um drone. O objetivo da PF é identificar suspeitos de crimes eleitorais, como boca de urna e distribuição de santinhos.

    Os locais foram escolhidos previamente, mas a lista de onde os drones são usados é mantida em sigilo. O equipamento ajuda na observação do espaço, inclusive adjacências, onde ocorre a votação.

    Enquanto o drone sobrevoava o IEE, onde votam cerca de 5,5 mil eleitores, no chão havia reclamação sobre aglomeração. Isso ocorreu porque a urna eletrônica usada nas seções eleitorais 254 e 255 deu problema por duas vezes. Na primeira vez, a fotografia dos candidatos a vereador não aparecia.

    Na segunda, um eleitor fez um voto incompleto e a urna não abria para o eleitor seguinte. O problema foi solucionado, mas não impediu a formação da fila. A situação piorou por não haver marcação no chão para orientar o distanciamento sugerido nas regras sanitárias.

    > Eleitor com paralisia cerebral vota em Florianópolis com ajuda de recursos de acessibilidade próprios

    Muitos dos eleitores eram idosos que tinham ido votar antes das 10h, conforme orientação da Justiça Eleitoral, e reclamaram por ter que esperar por quase meia hora.

    Alguns eleitores reclamaram para fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e se revoltaram com a resposta sobre “falta de gente para fiscalizar”.

    - Acho absurdo a gente se cuidar em casa e no trabalho e no dia da eleição correr um risco desses - criticou o eleitor Rui Moisés, 64 anos.

    > e-Título tem erro e fica fora do ar durante eleições 2020; saiba o que fazer

    Mesários sem viseira

    Eleitores também questionaram o não uso das viseiras plásticas (face shields) por parte dos mesários, que foram fornecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O DC comprovou isso na sessão 233 e 234 do IEE.

    Questionada sobre o fato, a assessoria de imprensa do TRE informou que o TSE distribuiu as viseiras para todos os mesários de Santa Catarina.

    A eleitora Marli Correia reclamou da junção de seções

    - A gente já acha errado ter eleição em ano de pandemia. Calcula daqui a 15 dias e veja quantos vão estar com a Covid-19 aqui em Floripa e no resto do Brasil – sugeriu Marli.

    A velha política de jogar santinhos no chão continuou na disputa 2020.

    - Todo ano é assim: queria saber o que a Justiça Eleitoral faz com esses candidatos, já que é crime previsto na lei – observou Maurício Del Costa.

    Santinhos jogados no chão incomodaram eleitores em Florianópolis
    Santinhos jogados no chão incomodaram eleitores em Florianópolis
    (Foto: )

    Leia também:

    > Briga generalizada em dia de eleição termina em homicídio em Piratuba, no Oeste de SC

    > Ex-governador Leonel Pavan se envolve em 'confusão eleitoral' em Balneário Camboriú

    > Eleições 2020: data, prazos e regras do calendário eleitoral

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas