nsc
    dc

    Prevenção

    Eleitores serão impedidos de votar caso não estejam de máscara, diz TSE

    Decisão de dispensar o uso da biometria nesta eleição foi necessário para evitar aglomerações

    09/09/2020 - 11h03 - Atualizada em: 09/09/2020 - 16h30

    Compartilhe

    Por Folhapress
    barroso
    Ministro Luís Roberto Barroso apresenta “Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020”
    (Foto: )

    O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luís Roberto Barroso, afirmou nesta terça-feira (8) que os eleitores serão impedidos de votar caso não estejam de máscara no local de votação.

    Em site especial, acompanhe tudo sobre as eleições municipais 2020

    Além disso, as pessoas serão obrigadas a passar álcool em gel nas mãos antes de acessar a urna eletrônica.

    Segundo o tribunal, o país terá 401 mil seções eleitorais e 2 milhões de mesários. A média será de 435 eleitores por seção, haja vista que há 147 milhões de eleitores aptos a votar.

    Barroso afirmou que a decisão de dispensar o uso da biometria nesta eleição foi necessário para evitar aglomerações. O ministro argumentou que a identificação digital torna o processo de votação mais demorado, o que facilitaria o acúmulo de filas.

    "Estamos nos preparando para o enfrentamento à desinformação", diz presidente do TRE-SC sobre as eleições

    O presidente do TSE ressaltou que a ampliação do horário de votação em uma hora (de 7h às 17h) foi outra medida adotada para diluir o número de pessoas a irem aos colégios eleitorais ao mesmo tempo.

    O horário preferencial para pessoas acima de 60 anos será o de 7h às 10h.

    O ministro detalhou as medidas ao anunciar a criação do Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais de 2020, que foi elaborado pela consultoria sanitária formada por especialistas da Fiocruz e dos hospitais Sírio Libanês e Albert Einstein em parceria com o TSE.

    Eleições 2020: saiba o que muda na hora de votar por conta da pandemia

    Barroso disse que um grupo de cerca de 30 empresas se dispôs a arcar com os custos dos equipamentos de segurança a serem usados no dia do primeiro turno, em 15 de novembro, e do segundo turno, marcado para 29 de novembro.

    Ao todo, serão 9,7 milhões de máscaras, 2,1 milhões de frascos de 100 MLs de álcool em gel, 1,8 milhões de viseiras plásticas e 533 mil marcadores de chão para assegurar o distanciamento.

    Conheça projetos que buscam aproximar jovens eleitores da política em SC

    Para os eleitores, haverá 1 milhão de litros de álcool em gel. O ministro alertou que em algumas seções o eleitor que esquecer a máscara pode até conseguir o equipamento no local, mas que essa não será a regra.

    O TSE definiu que não haverá medição de temperatura para evitar aglomerações e pelo custo benefício.

    Eleições 2020: crise do coronavírus vai dar mais peso à economia nos debates da campanha

    "Estamos tomando todas as precauções. Segurança absoluta, só se não tiver eleição. Mas essa não é uma opção considerada nem pelo TSE nem pelo Congresso. Minimizamos o risco. Não diria a leviandade de dizer que vai ser risco zero, mas baixamos o risco ao mínimo possível" disse o ministro Barroso.

    Barroso também afirmou que a expectativa para este ano é que o número de candidatos salte de 450 mil para 700 mil. O aumento se deve ao fim da possibilidade de coligação nas disputas proporcionais.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas