nsc
nsc

Morar Bem

Versatilidade faz do ripado o novo queridinho dos designers e arquitetos

Saiba como utilizar a tendência nos ambientes

26/07/2021 - 14h52 - Atualizada em: 27/07/2021 - 10h33

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Morar bem
Projeto de Jeferson Branco para Casacor
(Foto: )

Elegantes, atemporais e adaptáveis, estruturas em ripados são tendência e conquistaram os designers e arquitetos em 2021. Este elemento, que traz um charme a mais para os ambientes, não tende a sair de moda tão cedo e agrada tanto quem gosta de um estilo mais clássico quanto quem prefere um mais hype ou contemporâneo. 

> Quais tecidos e materiais são utilizados na decoração de ambientes externos

Existem diversas aplicações dos ripados – seja no fundo dos móveis, em paredes inteiras, em decorações discretas, cabeceiras e em painéis. A técnica da marcenaria é composta de “ripas”, como são chamadas as estruturas finas e compridas, que seguem determinado padrão.

O material utilizado pode ser feito de madeira, mas também são comuns os revestimentos com MDP e MDF. Tendo em mente a tendência de imóveis mais abertos, com cômodos integrados, os ripados são amplamente utilizados pelos profissionais nas divisórias dos ambientes, em paredes, móveis e até no teto.

Ripados em diversos ambientes

Apesar de ser uma aposta clássica e segura, é possível criar composições de ripados com diversas as cores, tamanhos, padrões e espessuras. Tendência para este ano, o ripado está entre as escolhas de projetos do arquiteto Jeferson Branco, que aponta uma grande versatilidade.

— A maior utilização é em salas e cozinhas, mas já usamos em literalmente todos os ambientes, sejam residenciais, corporativos ou comerciais. A arquitetura é composta por cheios e vazios, luz e sombra. Temos todos esses atributos em um único elemento, nos painéis ripados, por isso acredito ter ganhado o coração de tantos arquitetos — detalha.

> Cidades da Serra se preparam para a chegada do frio intenso

Em projeto desenvolvido para a Casacor Santa Catarina, o arquiteto utilizou o padrão ripado na estrutura que divide o quarto do banheiro. Segundo Branco, o estúdio “cheio de borogodó” assinado por ele é uma instalação manifesto que retrata, entre outros desagrados, a indignação do arquiteto com a desvalorização dos nossos bens naturais e o extrativismo desenfreado. Traz itens de decoração da cultura popular brasileira que agregam no mix de elementos em voga nos lares contemporâneos compondo o atual design high-low, onde marcas ou produtos de alto valor junto a acessórios e acabamentos de baixo custo.

— Nesse contexto falando do nosso Brasilzão, trouxemos o painel ripado ressignificado. O painel ripado em curva direciona o fluxo e traz a fluidez e o jogo de cintura de todo brasileiro, e foi desenvolvido em um degradê de cinzas, indo do cinza mais forte ao mais fraco, representando a nossa riqueza de etnias e culturas — completa o arquiteto.

Erick Willian Rodrigues Bottega, consultor projetista da Criare Florianópolis, concorda que o uso do ripado pode ser voltado a diversos momentos e ambientes – seja em painéis decorativos, portas de passagens, portas em laca para cozinhas, roupeiros e banheiros.

morar bem
Ambientes modernos
(Foto: )

— Clientes que buscam painéis ripados em seus ambientes são clientes plurais, que procuram ambientes contemporâneos a rústicos, devido à versatilidade que conseguimos formar com nossas cores e composições para cada ambiente. Trazendo singularidade e requinte para cada uso em específico — destaca.

Qualidade 

Para ter os benefícios do conforto e aconchego da madeira em um ambiente com estilo, a qualidade do produto utilizado é fundamental. Segundo Bottega, é preciso utilizar material com alto índice de matéria-prima por m³ nos painéis.

morar bem
(Foto: )

— Além disso, nossos móveis usam são madeiras de exportação para outros países, devido a baixa utilização de compostos (formaldeídos) em sua produção, trazendo a durabilidade e longevidade aos nossos materiais e móveis. Em todas as nossas estruturas são utilizadas MDP e MDF. MDP para todas as nossas estruturas e acabamentos, que não necessitam de pintura — explica o consultor projetista.

Já os painéis de aglomerados são formados por partículas de madeira aglutinadas entre si. No caso do MDF, para ripados em Laca, são materiais que já recebem um tratamento fino em laca. 

Confira o especial Morar Bem

Leia também

Como decorar e criar uma adega em casa para guardar os vinhos

Colunistas