nsc
an

Pandemia

Volta às aulas: seis profissionais são afastados um dia após retomada das aulas presenciais em Joinville

Eles apresentaram sintomas gripais na última terça-feira. Sindicato solicitou suspensão imediata das aulas presenciais

10/02/2021 - 10h14 - Atualizada em: 10/02/2021 - 17h01

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Escola fica no bairro Guanabara, zona Sul de Joinville
Escola fica no bairro Guanabara, zona Sul de Joinville
(Foto: )

Seis profissionais foram afastados de uma escola municipal de Joinville por apresentarem sintomas gripais um dia após a retomada das aulas na cidade. Eles fazem parte da Escola Municipal Professora Anna Maria Harger, no bairro Guanabara, zona Sul do município.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

A escola tem 71 servidores no local e os afastamentos representam menos de 10% do total. Segundo a prefeitura, os profissionais foram a diretora, um professor, uma orientadora, duas supervisoras e a auxiliar de direção. Apenas um deles testou positivo para a Covid-19.

Os seis profissionais apresentam sintomas gripais e estão isolados conforme protocolo, de acordo com a prefeitura. Eles não precisaram de internação e são monitorados pelas secretarias de Saúde e Educação e pela Vigilância Sanitária.

> Coronavírus: sintomas, tratamento e como prevenir

Segundo o município, a medida faz parte do protocolo de prevenção da Covid-19 e será tomada em todas as unidades da rede municipal quando alguma situação semelhante acontecer entre alunos, professores ou demais servidores. 

A prefeitura informou, ainda, que na última terça-feira (9) uma equipe da Vigilância Sanitária esteve na escola para verificar as medidas sanitárias e as barreiras de segurança adotadas na instituição de ensino. 

> Anna Maria Harger mudou os rumos da educação de Joinville

Sindicato pede fechamento imediato da unidade

Em nota, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej) solicitou à Secretaria de Educação o fechamento imediato da unidade, o rastreamento de todos os possíveis contaminados para bloquear a transmissão, além da desinfecção do local. 

O sindicato solicita também a suspensão imediata das aulas presenciais até que seja garantida a saúde dos servidores e da comunidade escolar. 

> "Vai ser melhor do que ficar em casa", diz mãe de aluno sobre volta às aulas em Joinville

A prefeitura informou que a interdição da escola não foi necessária e que vem atuando para manter a segurança de todos no ambiente escolar.

> “A Covid-19 fez os médicos valorizarem mais os sintomas do paciente”, diz pneumologista de Joinville

Confira na íntegra o que diz o Sinsej

"Nesta terça, 9, seis dias após o início do trabalho presencial nas escolas da rede municipal de Joinville, o Sinsej (Sindicato dos Servidores Municipais de Joinville e Região) recebeu a informação de contaminação comunitária de Covid-19 na Escola Municipal Professora Anna Maria Harger, no bairro Guanabara. A contaminação gerou o afastamento tanto da diretora da escola e de outros servidores e coloca em risco a saúde a vida de toda a comunidade escolar.

Diante da informação, a direção do Sindicato solicitou à Secretaria de Educação o fechamento imediato da unidade, o rastreamento de todos os possíveis contaminados para bloquear cadeia de transmissão, além da desinfecção da escola.

Para a presidenta do Sinsej, Jane Becker, esse fato confirma que a Prefeitura não consegue garantir a segurança sanitária necessária quando o nível de contágio do novo coronavírus continua gravíssimo na região. Somente na segunda-feira (8) foram contabilizados 718 novos casos, totalizando 2143 ativos e quatro mortes, que passam de 630 desde março.

Conforme boletim emitido dia 6, pelo Núcleo de Estudos de Economia Catarinense da UFSC, Joinville concentra 85% dos casos da doença da mesorregião Norte, ao mesmo tempo em que está em quarto lugar na evolução do número de casos entre os 10 municípios com maiores registros oficiais desde junho.

Para preservar a vida e a saúde dos servidores, alunos e familiares, o Sinsej exige a imediata suspensão das aulas presenciais até que haja a necessária segurança sanitária e a vacinação de todos profissionais da educação. Escolas fechadas, vidas preservadas."

Confira na íntegra a nota de esclarecimento da Prefeitura

"A Prefeitura de Joinville esclarece que não há surto de Covid-19 registrado nas Escolas Municipais ou Centros de Educação Infantil (CEIs) da Rede Municipal de Ensino.

Atualmente, as Escolas e CEIs contam com mais de 3,5 mil professores e quase 70 mil alunos. Para que a volta às aulas pudesse ser realizada de forma confiável, um protocolo específico foi criado, com base na segurança, na aprendizagem e na socialização.

Na quarta-feira (3/2), os professores retomaram suas atividades de planejamento e preparação e na última segunda-feira (8/2), foi realizada a volta às aulas, com massiva adesão por parte das famílias e dos alunos.

Além do revezamento das turmas, com metade dos alunos em sala de aula e a outra metade com atividades em casa, medidas como a aferição de temperatura, a utilização de álcool 70% e práticas de distanciamento social foram adotadas em todas as unidades.

No caso da Escola Municipal Prof. Anna Maria Harger, localizada no bairro Guanabara, profissionais que apresentaram sintomas gripais foram afastados para o devido tratamento, conforme prevê o protocolo. A mesma conduta será tomada em todas as unidades da Rede Municipal quando alguma situação semelhante se apresentar com alunos, professores ou demais servidores.

Ontem, terça-feira (9), uma equipe da Vigilância Sanitária esteve na Escola Municipal Prof. Anna Maria Harger, a pedido da Secretaria Municipal de Educação, para verificar as medidas sanitárias e as barreiras de segurança adotadas na instituição de ensino. Na ocasião, a interdição da escola não se mostrou necessária.

A Prefeitura de Joinville atua com comprometimento e dedicação para que pais e mães possam ter a tranquilidade de encaminhar seus filhos para um ambiente escolar seguro e preparado. A Secretaria de Educação trata este tema com a segurança que o momento exige e com a seriedade que ele deve ser tratado."

Colunistas